Posted in:

Lesões no Manguito Rotador: Tudo que você Precisa saber

Nem preciso perguntar, sei que se você ainda não tratou um paciente com o problema, pelo menos ouviu falar das lesões no manguito rotador. Elas são tão comuns e afetam tantos pacientes que é praticamente impossível ficar sem falar a respeito dela.

Por isso, preparei o artigo abaixo. Ele é uma revisão das causas anatômicas e biomecânicas das lesões no manguito rotador que deve te ajudar no tratamento. Continue lendo para compreender como elas acontecem e qual é a melhor forma de trabalhar com pacientes com o problema.

Estabilização do Ombro com Manguito Rotador

Considerando a grande amplitude de movimentos do ombro já conseguimos perceber que é um conjunto articular pouco estável. A estrutura do ombro o deixa movimentar-se em quase todas direções e sentidos ao abrir mão da estabilidade. Portanto, o complexo está sujeito a um número de lesões e desequilíbrios razoáveis.

A estabilização do ombro ocorre através dos seguintes mecanismos:

Essas estruturas de estabilização são algumas das mais afetadas por lesões. As passivas, como ligamentos, tendões e labrum muitas vezes exigem tratamento cirúrgico por causa da gravidade da lesão. Mas por que vemos tantas lesões nessa região que possui tantos estabilizadores?

Vamos observar os ligamentos para um exemplo inicial. A região é rica neles, inclusive a cabeça do úmero, uma das áreas mais instáveis de todo o complexo.

Porém, eles são incapazes de realizar sua função com eficiência. A cavidade glenóide, na qual a cabeça do úmero se encaixa, é rasa para que o movimento aconteça com a amplitude de movimento mais elevada possível. Assim, estabilizadores passivos não são o suficiente para manter o ombro estável.

Apesar de todos os ligamentos que rodeiam a cabeça do úmero, ela não consegue realizar movimentos adequadamente. Sua amplitude de movimentos faz com que a região tenha ligamentos menos rígidos e favorece mobilidade.

Por isso, o ombro também usa estabilizadores dinâmicos que devem impedir lesões. Mas considerando a número de lesões que encontramos diariamente, você já deve ter percebido que muitas pessoas não têm uma estabilização dinâmica muito eficiente.

Isso quando os próprios estabilizadores não sofrem, como é o caso das lesões no manguito rotador.

O que é o Manguito Rotador?

O manguito rotador é um conjunto muscular do ombro que realiza a estabilização dinâmica da estrutura. Ele é composto pelos seguintes músculos:

  • Músculo subescapular;
  • Músculo redondo menor;
  • Músculo infra espinhal;
  • Músculo supra espinhal;
  • Cabeça longa do bíceps.

Além de estabilizar, essas musculaturas realizam os movimentos do ombro:

  • Rotação interna;
  • Rotação externa.

Quando o manguito rotador tem sua função normal, ele equilibra a cabeça do úmero e a direciona para a cavidade glenoidal. Portanto, ele permite um encaixe perfeito da estrutura.

Para realizar os movimentos do úmero, ele recruta auxílio também do deltóide e peitoral maior, que frequentemente estão tensos ou pouco ativados nos casos de lesão no manguito rotador.

Os principais tendões do ombro estão localizados na base do manguito rotador. Por isso, é frequente encontrarmos problemas, lesões ou tensões neles, mesmo quando o manguito não está lesionado. Os principais deles são:

São os tendões que conectam os músculos do manguito rotador às estruturas articulares. Sem a estabilização dinâmica, o ombro sobrecarrega os lesões e você já sabe o resultado: uma tendinite, uma das principais LERs que nossos pacientes desenvolvem nos membros superiores.

Patologias e lesões no manguito rotador

Uma das causas mais comuns de dor no ombro que encontramos nos studios são as lesões no manguito rotador. Além disso, a falta de ativação desse conjunto muscular faz com que o aluno tenha chances de desenvolver lesões em outras regiões.

A bursite, por exemplo, pode ocorrer por falta de estabilização. Sabemos que o ombro é uma articulação sinovial que possui pequenas bolsas com líquido sinovial para suportar e aliviar o movimento.

As que estão localizadas no espaço subacromial acabam comprimidas quando o manguito rotador não consegue dar suporte ao úmero. A compressão excessiva causa o quadro de inflamação que encontramos com frequência.

Falta de estabilidade também causa inflamação nos tendões e, em casos mais avançados e graves, deformação de estruturas ósseas.

Essa última opção acontece quando temos não somente lesões no manguito rotador, mas também rompimento das musculaturas. O resultado é um impacto excessivo na articulação glenoumeral que, quando não tratado, faz com que a cavidade ou cabeça do úmero deformem.

Lesões no manguito rotador

Finalmente falaremos sobre as lesões no manguito rotador em si. Existem três estágios para essas lesões:

  1. Caracterizado por edema, inflamação e hemorragia de bursa e tendões.
  2. Acontece o espessamento da bursa e fibrose nos tendões.
  3. Leva à ruptura das musculaturas do manguito e consequente alterações ósseas no úmero e no acrômio.

Pessoas jovens e adultos sofrem muito com as lesões nos dois primeiros estágios, especialmente quando praticam esportes sem supervisão adequada e trabalho preventivo.

O último estágio é mais comum em indivíduos acima dos 40 anos. Quando chegamos ao terceiro estágio a solução mais comum é cirurgia, mas podemos prevenir isso antes de chegar a uma lesão tão evoluída.

Indivíduos que desejam prevenir lesões no manguito rotador precisam trabalhar com exercícios específicos para estabilização do ombro. É importante que esse complexo articular tenha musculaturas fortalecidas e com funcionamento fisiológico adequado para permitir movimentos na amplitude máxima e suportar maior carga.

Conclusão

Qualquer trabalho de prevenção de lesões, especialmente com atletas, precisa de fortalecimento de musculaturas do manguito. Mas é importante sempre observar seu aluno para que realize os movimentos de forma correta sem sobrecarregar a estrutura.

A postura e o alinhamento articular durante os movimentos são especialmente importantes. É comum que o aluno comece a desequilibrar um pouco depois que fica cansado ou até quando você não está olhando.

Evite sobrecarga na coluna e também faça com que seu aluno ou paciente mantenha o cotovelo alinhado para não sobrecarregar e prejudicar a articulação.

Como o ombro realiza movimentos em todas as amplitudes, os exercícios para seu fortalecimento também devem ter essa característica. Quem trabalha com atletas também precisa analisar movimentos específicos do esporte para identificar movimentos possivelmente lesivos.

Minha última dica para conseguir realizar uma prevenção de lesões no manguito rotador eficiente é: cuidado com a carga. A faixa elástica é uma boa opção para evitar sobrecarga e impacto sobre as articulações do ombro, mas mesmo assim é importante começar com cargas baixas e evoluir lentamente.

Quanto menor for o impacto da carga na articulação melhor e menor a probabilidade do aluno se lesionar durante o treinamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *