Posted in:

Treinamento funcional para quadril: da avaliação ao tratamento

Usar treinamento funcional para quadril é um desafio para você? Pode parecer complexo, mas usando as excelentes técnicas e exercícios do funcional, conseguimos fornecer um tratamento completo de quadril para nosso paciente! Continue lendo para aprender, de maneira geral, como proceder da avaliação ao tratamento.

Primeira etapa do tratamento: avaliação

Preste atenção nesse subtítulo, resolvi incluir a avaliação como parte do tratamento. É isso mesmo, sem uma avaliação você não consegue utilizar o treinamento funcional para quadril. Portanto, realize essa etapa com muita atenção e cuidado!

Durante a avaliação devemos começar pelo histórico clínico. Avaliar o histórico inclui muito mais que só olhar os exames de imagem do paciente. Os exames servem de referência, mas dão um diagnóstico raso e insuficiente para planejarmos o treinamento funcional para quadril.

Ao avaliar seu paciente e histórico clínico aproveite para saber a respeito de:

  • Ocupação profissional;
  • Traumas anteriores (mesmo que não estejam relacionados ao quadril);
  • Dores (também não precisam ser exclusivamente no quadril);
  • Atividades de lazer;
  • Atividades esportivas.

Você precisa fazer um questionário super extenso sobre a vida do aluno? Não exatamente. Mas nós precisamos de algumas informações básicas para avaliar o quadril.

Observação da postura no treinamento funcional para quadril

Antes de começar a aplicar vários testes para quadril, aproveite para observar seu paciente com cuidado. O exame do aluno deve começar assim que ele entra na clínica, desde quando ele está sentado na sala de espera até subir as escadas para chegar no Studio. Nesses momentos a pessoa está relaxada e não faz ideia que está sendo avaliada. Então, conseguimos ver pequenos movimentos e desequilíbrios que desaparecem com a tensão da avaliação.

Todo profissional que trabalha com movimento precisa ser um excelente observador. Podemos observar nosso paciente e como ele realiza:

  • Marcha;
  • Sobe escadas;
  • Agacha;
  • Senta e levanta;
  • Outras atividades.

Como já sabemos, patologias e lesões do quadril são bastante incapacitantes e alteram diversos movimentos funcionais do paciente. Através de uma boa observação conseguimos insights que terão influência direta no tratamento.

Percebeu algo de estranho nos movimentos do quadril do seu paciente? Então prepare os testes da avaliação para conseguir confirmar sua hipótese.

Palpação do quadril

Não tenha medo de tocar e manipular seu paciente, seja durante a avaliação ou durante o treinamento funcional para quadril. A palpação é essencial e nos ajuda a identificar:

  • Pontos dolorosos e pontos gatilho;
  • Tônus muscular;
  • Deformidades ósseas.

Nesse exame buscaremos alguns pontos de referência para analisar o alinhamento do quadril. Esses pontos são:

  • Espinha ilíaca ântero-superior;
  • Crista ilíaca;
  • Espinha ilíaca póstero-superior;
  • Trocânter maior;
  • Tuberosidade isquiática.

Deixei em negrito três pontos relacionados aos ilíacos, existe um motivo para isso. Essa região é extremamente importante para indicar a patologia de quadril. O desalinhamento dos ilíacos pode ser origem de desvios posturais, disfunções articulares e diversos outros problemas. Como não temos tempo de discutir os ilíacos em detalhes aqui, deixarei uma sugestão de leitura: o artigo da Janaína Cintas sobre o tema.

Também devemos estar atentos para cicatrizes, assimetrias e alterações posturais que possam ter a ver com o quadril durante a palpação. Um detalhe importante aqui: nem sempre elas estão exatamente na região do quadril. Por isso é importante manter toda sua atenção enquanto examina qualquer paciente.

Avaliação de Mobilidade

Apesar de ter movimentos em todos os planos de movimento, o quadril não possui grande amplitude de movimento. De qualquer maneira, precisamos realizar uma avaliação completa de mobilidade nessa articulação sinovial. Mesmo com uma amplitude limitada, um aluno com patologias ou lesões no quadril não consegue realizar o movimento em toda sua amplitude.

A mobilidade pode ser avaliada em testes passivos e ativos. Quer uma dica? Utilize os dois. Cada um tem suas vantagens e podem ser usados de maneira complementar. Analise todos os movimentos do quadril, que são:

  • Flexão;
  • Extensão;
  • Adução;
  • Abdução;
  • Rotação interna;
  • Rotação externa.

Avaliação de quadril ativa

Quando falo para fazer a avaliação ativa, quero dizer que precisamos usar alguns exercícios realizados pela própria força do paciente. Durante esses movimentos, conseguimos entender melhor o padrão de ativação muscular. Ou seja, percebemos se existe fraqueza ou desequilíbrios no quadril. Aproveite esses exercícios para comprovar algumas das hipóteses que elaboramos no início da avaliação.

Não realize exercícios de avaliação ativa somente no quadril. O corpo sempre está em busca de equilíbrio, mesmo que isso signifique realizar mais e mais compensações. Por isso, uma lesão no quadril gera um quadro compensatório em todo o corpo, podendo atingir partes da coluna, joelhos, tornozelos, entre outros.

Avaliação de quadril passiva

Os movimentos passivos também são parte fundamental da nossa avaliação. Para realizá-los nós fazemos o movimento através da avaliação, ou seja, eliminamos a influência muscular. Assim, conseguimos determinar o comprometimento das estruturas articulares e ósseas que estão influenciando a articulação.

Exercícios Corretivos para Alinhamento Postural

Ok, você já realizou todas as avaliações possíveis, testou todos os movimentos e tem um diagnóstico bastante claro da situação do quadril desse paciente. Chegou a hora de começar com os exercícios corretivos!

Mas existe tanta coisa errada nesse corpo, encontraremos diversos problemas, como:

  • Desequilíbrios musculares;
  • Encurtamentos;
  • Músculos tensionados;
  • Pontos gatilho;
  • Problemas posturais.

O quadril influencia muito na postura do paciente e geralmente você encontrará patologias e desvios posturais muito relacionados. As hiperlordoses, por exemplo, costumam ser relacionadas a um desvio do quadril. Geralmente, o ponto inicial do tratamento é utilizar exercícios corretivos para o problema postural.

Corrigir a postura nos ajuda a melhorar todos os movimentos funcionais do corpo e, dependendo do desvio e lesão do quadril, consegue até aliviar a dor.

Exercícios Corretivos de Movimento Funcional

O treinamento funcional para quadril é uma maneira de reabilitar a articulação através dos princípios funcionais que já conhecemos e adoramos. Os padrões de movimento ensinam o corpo a se mover da melhor forma para prevenir lesões e dores durante a movimentação do dia a dia.

O corpo é incapaz de compreender movimentos como uma ativação de músculo de cada vez. Além disso, precisamos treinar o corpo para que ele consiga adotar padrões mais adequados e evitar as compensações que certamente existem.

Os exercícios corretivos para tratamento de quadril devem ser focados em aliviar a dor e também simular movimentos diários, como saltos, marchas e corridas. Quem tiver um aluno atleta deve aproveitar para corrigir movimentos esportivos que possivelmente causariam uma lesão.

Perceba que uso alguns exercícios tipicamente do Treinamento Funcional. Um bom exemplo é o afundo, que ajuda a trabalhar a mobilidade do quadril de maneira similar a como ela acontece na marcha. O exercício também é ótimo para trabalharmos musculaturas envolvidas nessa movimentação.

Conclusão

Percebeu como tratar o quadril requer observação crítica e um trabalho individualizado que se adapte às necessidades do aluno? Criar um tratamento completo exige uma excelente avaliação e a escolha dos exercícios de treinamento funcional para quadril adequados. Por isso, é importante que você mantenha-se informado no assunto e garanta o melhor serviço para seu paciente.

Quer uma dica? A VOLL Pilates tem um excelente curso de avaliação e tratamento para patologias do quadril. Ele é completo e te ajudará a criar uma aula melhor adaptada para seus pacientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *