Posted in:

Patologias da Coluna Lombar: 13 Exercícios para Escoliose e Hérnia Lombar

Alunos com patologias da coluna lombar são o grande desafio da maioria dos instrutores. Casos que acumulam patologias nessa região tornam-se ainda mais complicados. Por acaso você já trabalhou com alguém que tem tanto escoliose quanto hérnia lombar?

Pode parecer impossível tratar esses alunos que possuem patologias da coluna lombar. Seu corpo está tão cheio de compensações, encurtamentos e tensões que nem sabemos por onde começar. Mas não é impossível. Basta compreender bem as duas patologias e saber como trabalhá-las. Nesse artigo você aprenderá sobre:

  • Biomecânica da escoliose e da hérnia lombar;
  • Objetivos do tratamento dessas patologias da coluna lombar;
  • O que fazer quando o aluno tem hérnia e escoliose;
  • Dificuldades do tratamento desses pacientes;
  • 13 exercícios úteis para as aulas.

Está pronto para ver todas essas informações e aumentar muito as taxas de sucesso no seu tratamento de patologias da coluna lombar? Continue lendo para entender tudo!

Incidência de Hérnia Lombar e Escoliose no Brasil

Resolvi falar sobre esse tema das patologias da coluna lombar porque ele é bastante relevante. Se você já é um profissional na ativa, deve ter percebido como essas patologias da coluna lombar são comuns em nossas Studios. O paciente com hérnia lombar ou escoliose sempre tem algumas opções de tratamento, entre elas o tratamento conservador que pode acontecer por:

  • Medicamentos;
  • Fisioterapia;
  • RPG;
  • Pilates;
  • Outras modalidades.

O tratamento conservador é sempre a primeira opção já que evita uma intervenção invasiva e dolorosa. Com o movimento conseguimos consertar muitos dos desequilíbrios encontrados nesses pacientes. Claro que tudo depende de uma boa avaliação e boa aplicação dos exercícios.

Para você ter noção de como essas patologias são importantes para qualquer um que trabalhe com o movimento: estima-se que entre 30% e 40% da população tenha hérnia lombar. A escoliose é um pouco menos presente, mais ainda incrivelmente comum, afetando pelo menos 4% da população mundial. Sabe o que isso quer dizer? Que já está na hora de tratar essas que estão entre as principais patologias da coluna lombar.

Biomecânica da Escoliose

Sei que você está louco para começar a aprender os exercícios, mas logo chegaremos a isso. Primeiro quero relembrar um pouco sobre como acontecem as principais escolioses e hérnias lombares que encontramos. Entender a biomecânica do corpo e de seus desvios é o primeiro passo para iniciar o melhor tratamento.

Uma escoliose pode ser de diversos tipos, mas nesse artigo quero focar na idiopática. Ela é o caso mais comum de escoliose que encontramos, portanto o que você precisará tratar com mais frequência.

As escolioses idiopáticas também podem estar relacionadas a outros desvios posturais, como um apagamento ou aumento da curva lombar. Quando existe um desvio da coluna (que é o caso dessa patologia) as cadeias musculares também ficam tensionadas para um dos lados. Assim, vamos uma inclinação lateral do corpo para o lado côncavo da escoliose. O grau da inclinação varia de acordo com o ângulo da curva escoliótica. Alguns pacientes possuem uma inclinação que é quase não perceptível, já outros podem chegar a uma inclinação acentuada.

Existe a possibilidade de existir uma rotação de tronco em alunos com escoliose lombar. Isso acontece principalmente devido a uma tensão nas cadeias cruzadas do tronco.

Biomecânica da Hérnia Lombar

Convivemos com a hérnia de disco quase diariamente, não é mesmo? Ela basicamente acontece quando o núcleo pulposo (a parte central do disco intervertebral) se projeta para o exterior.

Quando acontece a lesão é possível encontrar uma compressão ou até lesão de nervos na região. Como resultado surge a dor e sintomas secundários como:

  • Formigamento ou perda de sensibilidade na região correspondente ao dermátomo;
  • Falta ou perda total de força muscular na região que corresponde à altura da hérnia.

A cartilagem da coluna vertebral serve para amortecer os movimentos entre as estruturas da coluna vertebral. Essa cartilagem acaba lesionada quando ocorrem alguns traumas, como:

  • Quedas;
  • Acidentes (geralmente automobilísticos);
  • Esforços para levantar peso;
  • Encurtamentos musculares;
  • Etc.

Nossos alunos com hérnia lombar terão diversos encurtamentos musculares e comprometimentos ao seu sistema musculoesquelético. Pessoas com uma hérnia há um período longo de tempo ainda terá muita falta de mobilidade na coluna e diversas outras regiões. A dor é a principal culpada.

O médico indica para o paciente o repouso como solução para a dor, isso acontece com diversos tipos de dor lombar. O repouso até ajuda, mas é uma solução temporário que a longo prazo só deixa o problema pior.

Nos casos de dor lombar teremos uma variedade de compensações, tensões e encurtamentos musculares. Todos eles são um agravante na dor que o aluno sente devido a hérnia. Além disso, seus movimentos estarão comprometidos. Você terá bastante dificuldade de introduzir exercícios que trabalhem diretamente a coluna vertebral. Mas existem maneiras de corrigir isso, como veremos nesse artigo.

O Que Fazer Quando o Aluno Apresenta Hérnia Lombar e Escoliose?

Você por acaso já atendeu um aluno com hérnia e escoliose lombar? Acredite ou não esses casos existem e são mais comuns do que parecem. Pense bem, faz todo sentido uma escoliose estar aliada a uma hérnia para complementar os desequilíbrios do corpo.

Algumas escolioses idiopáticas até tem a hérnia lombar ligada a sua causa. Nesse tipo de situação a escoliose acontece devido aos desvios e tensões criados pelo corpo para escapar da dor. Essas tensões forçam a coluna lombar para um lado gerando o desvio tridimensional que chamamos de escoliose.

Na hora de tratar um paciente com tais patologias surge uma dúvida: como vou usar os exercícios específicos para escoliose sendo que o aluno tem uma hérnia? Essa dúvida é pertinente especialmente relacionada aos exercícios de rotação. Precisamos desse tipo de movimento corretivo em qualquer aluno com desvio na coluna. Mas quem já trabalhou com hérnia e outras patologias da coluna lombar sabe: rotações causam muita dor.

Se o paciente sente dor, ficamos impossibilitados de aplicar o exercício. Assim, acabamos com dificuldade para tratar qualquer uma das patologias. Deixa eu te contar um segredo: existe uma maneira de trabalhar exercícios com rotação sem causar dor.

Objetivos do Tratamento da Escoliose

Para que o tratamento do seu paciente com escoliose e hérnia lombar seja completo, precisaremos aliar os objetivos do tratamento. Comecemos falando da escoliose, uma patologia complexa e muitas vezes difícil de solucionar.

Nosso primeiro objetivo com o tratamento conservador de escoliose é conter a evolução da curva escoliótica. Trabalhando com pacientes mais novos devemos ter um cuidado extremo para que ele não precise de intervenção cirúrgica ou uso de colete no futuro. Claro que em primeiro lugar queremos aliviar e tratar a dor naqueles que a sentem.

Como sabemos que existe a possibilidade de crescimento da curva escoliótica? Tudo depende da possibilidade de crescimento do paciente. Assim, pacientes mais novos, adolescentes e meninos, têm uma probabilidade maior de apresentar evolução no caso. Mesmo que esses pacientes já usem colete, ainda deveremos auxiliá-los com exercícios.

O exercício para paciente que usa colete continue sendo uma maneira de conter a curva escoliótica. Também devemos cuidar para que o aluno não sofra com os efeitos do uso de colete. Eles incluem apagamento das curvaturas da coluna, rigidez e fraqueza muscular.

Os exercício usados no tratamento para escoliose tem o objetivo de:

  • Fortalecimento de musculaturas do Core;
  • Ativação e fortalecimento de estabilizadoras da coluna.

Os exercícios que compõem o tratamento da escoliose devem ser principalmente de:

  • Fortalecimento da região lombar, do Core e de membros inferiores (base do corpo);
  • Trabalho de estabilização da região da coluna afetada (no caso lombar);
  • Recuperação de mobilidade lombar e torácica;
  • Melhora de mobilidade pélvica;
  • Correção das curvas fisiológicas da colunas.

Enquanto tentamos conter ou diminuir a curva escoliótica podemos perder o foco do nosso tratamento e acabar com um apagamento das curvas fisiológicas da coluna. Lembre-se que isso já acontece com nossos alunos com escoliose. A maioria deles possui a curva sagital apagada, alterando as propriedades biomecânicas da coluna. Devemos preservar a curvatura da coluna, inclusive de regiões não afetadas pela escoliose.

Objetivos do Tratamento de Hérnia Lombar

Nosso objetivo primário no tratamento da hérnia lombar e de quase todas patologias da coluna lombar é o controle da dor. O aluno estará extremamente limitado por causa da dor e com dificuldades para fazer os exercícios mais simples.

Começaremos corrigindo os desequilíbrios mais relacionados a dor. Esse aluno precisará fortalecer musculaturas do Core e também de membros inferiores. Assim conseguimos diminuir a compressão sobre as estruturas lombares e melhoramos o quadro álgico do paciente. Poderemos utilizar técnicas como aplicação de gelo sobre o local para diminuir o edema.

Trabalhando com pacientes que possuem hérnia lombar, você perceberá como é difícil realizar o tratamento na fase aguda. Conforme conseguimos controlar a dor, é possível inserir mais exercícios, mas tudo aos poucos. Aprenda a seguir o ritmo do aluno. Queremos que ele perceba sua melhora e como o movimento é importante para isso. Mas não queremos que ele fique desmotivado porque a dor está atrapalhando.

Uma evolução eficiente dos exercícios te ajuda a manter o aluno firme no tratamento e a melhorar seus desequilíbrios musculares. Conforme conseguirmos fortalecer músculos estabilizadores de coluna a evolução ficará mais rápida. Devemos focar no fortalecimento das seguintes regiões:

  • Musculatura lombar;
  • Musculatura abdominal;
  • Musculatura de membros inferiores.

Também procuramos recuperar a mobilidade e amplitude de movimento da coluna vertebral. O instrutor deve trabalhar também com orientações para o aluno herniado. Ele precisará retomar seus movimentos funcionais para conseguir readquirir sua independência aos poucos. A orientação do profissional deve ajudá-lo a adquirir confiança no movimento e perder o medo que meses de dor criaram.

Dificuldades do Tratamento de Hérnia Lombar

Devemos entender: o tratamento da hérnia lombar não é rápido ou fácil. Estamos trabalhando com um aluno muitas vezes traumatizado. Ele espera sentir dor assim que realizar algum movimento que influencie na lombar. Tem tanto medo de se mover que criou compensações a nível de membros inferiores, quadril, lombar, torácica, ombros, etc. O corpo inteiro possui tensões, encurtamento e, óbvio, dores que o atrapalham.

Além desses desequilíbrios a nível físico teremos o fator psicológico no aluno. Ele precisa aprender a confiar novamente nos seus movimentos. Livrar o aluno da sua visão negativa do próprio corpo e da hérnia também é trabalho do profissional do movimento.

Dificuldades do Tratamento em Alunos com Hérnia Lombar e Escoliose

Sabemos que a combinação de patologias deixa o tratamento ainda mais complexo. Quando existe uma hérnia lombar e escoliose muitos profissionais se sentem limitados. A dor proveniente da hérnia nos impede de usar os exercícios necessários para escoliose.

Se eu estou trabalhando com um aluno assim o que posso fazer? Sentar e esperar uma ideia genial vir à minha mente? Claro que não. Teremos de adaptar as aulas considerando as características específicas desse aluno.

Imagino que você já sabe, mas a avaliação será um passo importantíssimo nesse tratamento. Deveremos realizar avaliação postural e também dos movimentos, musculares e outras funções do corpo do aluno em desequilíbrio. Só assim você consegue determinar quais são os primeiros passos do tratamento.

Preste bastante atenção no que falei sobre os tratamento de hérnia lombar e escoliose. Apesar de parecer algo completamente diferente, eles são bem parecidos. Essas duas patologias da coluna lombar têm bem mais em comum do que imaginamos. Ambos os tratamentos buscam devolver ao aluno seus movimentos funcionais. Também trabalhamos com alívio da dor e ganho de mobilidade e amplitude de movimento.

E ao contrário do que muitos pensam podemos sim usar exercícios típicos do tratamento da escoliose para a hérnia. É exatamente isso que quero te ensinar nesse artigo. Ainda aprenderemos 13 exercícios para esses casos específicos.

13 Exercícios para as Patologias da Coluna Lombar

Aqui vou te explicar o maior segredo para conseguir usar exercícios rotacionais em alunos com hérnia lombar. Basta fazer uso da coluna neutra.

O exercício com rotações causa dor no aluno com hérnia lombar quando é realizado sem a coluna na posição neutra. Quando a pessoa realiza o exercício sem a coluna neutra exerce pressão sobre essa região da coluna.

  1. Exercício na Fitball com fita de suspensão de alongamento de cadeia posterior

Nesse exercício seu aluno senta na bola mantendo a coluna neutra. Ele realiza uma flexão para a frente sempre mantendo a curvatura neutra da coluna. Assim você consegue evitar a carga na coluna lombar que geraria dor.

O movimento é um ótimo alongamento da cadeia posterior. Não tente forçar o alongamento, deixe o aluno chegar ao seu limite, conforme ele se desenvolver ganhará amplitude de movimento.

  1. Exercício de Extensão da Coluna com Bola e fita de Suspensão

O aluno vai deitando na Fitball enquanto realiza uma extensão vértebra por vértebra da coluna. Ele segura as alças da fita de suspensão e as usa como apoio para realizar a extensão. O aluno também usa a fita de suspensão para fazer a volta do movimento.

  1. Exercício de Rotação

Os exercícios de rotação são essenciais para quem possui escoliose. Você poderá utilizar esse exercício mesmo com hérnia de disco e dor contanto que o paciente mantenha a coluna neutra. Aos poucos o corpo dessa pessoa conseguirá entender que o movimento não é prejudicial para seu corpo e ganhará mais confiança para fazer os exercícios.

  1. Exercício Avançado na Fitball

Recomendo esse exercício para seus alunos que estão mais avançados no tratamento. Ele exige um bom equilíbrio e ativação da musculatura de Core e é ótimo para trabalhar com estabilização da coluna lombar. Mantenha a coluna neutra durante todo o exercício e realize um alongamento da cadeia posterior.

  1. Mobilidade de Coluna Torácica com Fita de Suspensão e Foam Roller

Mesmo nas patologias da coluna lombar precisamos trabalhar com a mobilidade torácica. Ela estará comprometida devido às diversas tensões e encurtamentos encontrados no corpo. O exercício também ajuda a realizar uma boa ativação de Core. Usamos a fita de suspensão para aumentar ainda mais o trabalho de mobilidade.

  1. Exercício de Mobilidade Torácica 2

Essa é uma variação mais avançada do exercício anterior, pedimos para que o aluno suspenda um dos membros inferiores para aumentar a instabilidade e ativação do Core. Lembrando que a única região a se mover no exercício é a coluna torácica, portanto não deve causar dor lombar.

  1. Trabalho de Extensão de Coluna com Fita de Suspensão

Realizamos inicialmente somente o trabalho de extensão, que já exige bastante estabilidade do aluno. Caso ele seja um pouco mais avançado pode incluir também uma leve rotação.

  1. Agachamento com Fita de Suspensão

Um problema bastante comum em alunos com patologias da coluna lombar é fraqueza nos membros inferiores. Lembre-se que o corpo precisa de uma base para se sustentar e realizar movimentos funcionais. Muitos alunos também têm dificuldades de realizar exercícios de fortalecimento de membros inferiores por causa da dor.

Esse agachamento usando fita de suspensão e faixa elástica é uma ótima opção. Ao posicionar a faixa elástica na altura dos glúteos o aluno consegue auxílio para subir no movimento. Ele também precisa manter a coluna neutra para evitar dores durante e após o exercício.

Conforme o aluno evolui você pode utilizar elásticos com menor resistência e ir aumentando a amplitude de movimento. Deixa eu te avisar: alunos herniados e com escoliose podem até fazer agachamento profundo.

  1. Exercício do Avião

Esse é um exercício unilateral onde o aluno faz uma extensão da coluna e eleva um dos membros inferiores. A ideia é manter a coluna neutra durante todo o movimento. É um trabalho interessante de alongamento de cadeia posterior, fortalecimento de glúteos e equilíbrio, inclui também uma rotação bem leve de coluna.

  1. Afundo com Rotação de Tronco

O afundo nos ajuda a trabalhar alongamento e fortalecimento de membros inferiores. Para alunos com patologias da coluna lombar podemos incluir também uma rotação de tronco. Deixe seu aluno realizar o movimento no máximo de sua habilidade. Nunca devemos limitar um exercício por causa de uma patologia, mas sim por causa de limitações próprias do aluno.

  1. Prancha com a Fita de Suspensão

Realizamos essa variação da prancha abdominal com os 2 pés suspensos pela fita de suspensão. A posição inicial é a de uma prancha tradicional com joelhos apoiados no chão, ele suspende um pouco os joelhos e sustenta a posição por alguns segundos. Conforme o aluno adquirir mais estabilidade pode elevar um dos membros superiores para dificultar. Posteriormente ele será capaz de realizar o exercício com os dois membros suspensos.

  1. Alongamento Lateral de Joelhos

O aluno fica ajoelhado no tatame ou em um colchonete e segura as alças da fita com as mãos. Ele usa a fita de suspensão para auxiliar no movimento de rotação do alongamento. Como já falei antes, deve manter a coluna neutra durante todo o movimento. Alunos com dor aguda devem iniciar com o alongamento sem rotação e introduzir a rotação de coluna aos poucos.

  1. Alongamento de Cadeia Lateral

Para esse exercício o aluno segura a fita de suspensão e solta o corpo para trás. Assim realiza o alongamento da cadeia lateral do lado que está segurando a fita. Podemos evoluir introduzindo as rotações de coluna no movimento.

Conclusão

O maior problema de uma combinação de hérnia lombar e escoliose está na dor que o aluno sente em exercícios que trabalham a coluna. A maioria dos alunos com hérnia que recebemos sentem dor aguda e ainda estão em tratamento para controlá-la. Esse processo não será fácil nem simples, mas só o movimento é capaz de curá-los definitivamente.

Para aliviar a dor do aluno que possui patologias na coluna lombar precisamos realizar exercícios que trabalhem com fortalecimento e alongamento das cadeias musculares afetadas. A melhor maneira de conseguir que o aluno realize esses movimentos é mantendo a coluna neutra. Esse é o segredo para que ele consiga se mover e ganhe cada vez mais confiança.

Mesmo que seu paciente inicie o tratamento com movimentos muito limitados não se preocupe. Com o tempo ele conseguirá aumentar a amplitude de movimentos e fazer muito mais nas sessões. Dê a ele tempo, motivação e sempre respeite seus limites marcados pela dor.

Aplicando todos os princípios mostrados nesse artigo conseguiremos um tratamento com melhores resultados. Quer aprender ainda mais exercícios que você pode aplicar nas patologias da coluna lombar? Confira meu e-book completo com 50 exercícios para dor lombar. É gratuito e muito eficiente para nossas aulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *