Posted in:

Como o MIT Ajudou Profissionais a Melhorar seu Repertório de Exercícios

Imagino que você espera manter seus alunos por muitos meses ou até anos. Sabe o que isso significa? Que também precisa conseguir criar algumas sessões semanais únicas durante todo esse tempo, para isso é necessário ter um grande repertório de exercícios.

Na hora de fazer o planejamento de cada aula, muitos profissionais têm dúvidas. Será que realmente preciso usar sempre os mesmos exercícios? Como fazer para que as aulas sejam dinâmicas sem perder seu propósito?

Por Que o Repertório de Exercícios é Importante?

Com tais dúvidas em mente, encontramos dois tipos de profissional. O primeiro é inseguro e mantém-se apegado a uma pequena lista de exercícios que conhece muito bem. Eles são eficientes, funcionais, mas nada variados.

As aulas desse primeiro tipo de profissional trazem resultados, mas depois dos primeiros meses ficam repetitivas. Ele teme que seus alunos deixem de praticar porque estão ficando entediados e resolveram trocar o funcional ou Pilates por outra atividade física.

Também temos o profissional que quer deixar suas aulas variadas de qualquer jeito e recorre ao famoso Google para conseguir ajuda. Ele adora artigos do tipo “50 exercícios para sua aula de Pilates” e gosta de usar novidades toda semana.

Apesar disso, esse instrutor não consegue muitos resultados reais com seus alunos. Sua vontade de inovar não vem junto de um planejamento eficiente e a perda de qualidade é notável.

O ideal é ser diferente desses dois tipos de profissionais, tendo uma variedade grande de exercícios que tenham objetivo. Será que é possível?

Como o MIT Pode te Ajudar?

No curso MIT ensino profissionais a utilizar exercícios de Pilates e funcional para conseguir uma aula mais completa, dinâmica e envolvente.

Ao combinar técnicas você já consegue aumentar relativamente seu repertório de exercícios, mas existe algo ainda melhor: conhecer os movimentos profundamente.

Através de conceitos biomecânicos, o profissional é capaz de alterar suas aulas e incorporar mais exercícios úteis para seu objetivo.

Ao invés de utilizar exercícios aleatórios que talvez deixem a aula mais interessante, você consegue aplicá-los de forma funcional. Não é muito melhor?

Esses conceitos também são fundamentais para criar variações mais simples ou dificultadas de exercícios. Portanto, sua aula fica mais completa, traz mais resultados e deixa o cliente, seu aluno, mais satisfeito.

Quem já fez o curso MIT sabe como consegue melhorar seu repertório de exercícios com os conceitos e técnicas ensinadas. Confira alguns depoimentos que te mostrarão como isso acontece!

Mariana

A Mariana tinha dificuldades tanto para avaliar quanto para evoluir o aluno. Mal sabia ela que não conseguia realizar todo seu potencial como profissional do movimento porque estava confusa a respeito dos exercícios.

Através do uso do Pilates e do funcional ela conseguiu melhorar seu repertório de exercícios e seus atendimentos. Dá uma olhadinha no depoimento dela que mostra como essa nova aplicação dos movimentos mudou sua aula:

Tenho um aluno de personal, ele tinha uma postura cifótica, postura toda alterada, e um encurtamento muscular muito difícil de ser trabalhado, isso acaba atrapalhando até na vida dele, pois ele sentia muitas dores e não conseguia nem brincar mais com o filho pequeno.

Após o curso MIT, aprendi através da Avaliação a trabalhar cadeias musculares, dentre outras coisas… E o melhor de tudo é trabalhar com o treinamento funcional para reabilitar…

Após o curso MIT, meu aluno evoluiu muito em poucas aulas.

Marina

Assim como diversos outros profissionais, a Marina tinha dificuldades de encontrar variações de exercícios para suas aulas. Por isso, era difícil trabalhar os atendimentos de forma a adaptá-los para alunos de variados níveis.

O conhecimento adquirido no MIT ajudou a criar aulas mais completas e variadas, que ajudam com fortalecimento, flexibilidade e ainda incluem liberação miofascial para seus alunos.

Hoje consigo pensar mais além nas minhas aulas de treinamento funcional, tanto como fortalecimento, flexibilidade, liberação de fáscia, diversidade em exercícios e acessórios.

Cynthia

A avaliação e escolha de exercícios sempre foram um desafio para a Cynthia. Ela sentia dificuldade para montar suas aulas e distribuir exercícios funcionais e com objetivos durante suas sessões semanais, mas tudo mudou com o curso MIT.

Depois de aprender sobre uma avaliação inteligente, a Cynthia começou a melhorar seu planejamento de aula e ainda conseguiu aumentar seu repertório de exercícios. Tudo isso ao conseguir juntar o funcional, conceito de cadeias musculares e outras ferramentas do MIT.

Juntei o MIT com cadeias musculares. Hoje o aluno chega com dor e sai sem dor. O MIT me ajudou principalmente com trabalho de mobilidade e força.

Thiago Souzas

Durante suas aulas, o Thiago não conseguia ensinar corretamente seus alunos as correções para os exercícios. Por isso, alguns deles acabavam com bastante dificuldade para realizar os movimentos e até sentiam dor enquanto realizavam.

Com a maior variedade de movimentos funcionais adotada no MIT, ele conseguiu começar a preparar o corpo para o movimento e evitar a dor.

Tenho alguns alunos que tinham muitas dificuldades em realizar alguns exercícios ou então sentiam dores durante a realização. Após o curso MIT, ensinar os exercícios corretivos facilitou muito nesses casos.

Bruna Reis

O grande problema da aula da Bruna era evoluir a aula de uma forma lógica e com exercícios que realmente se encaixavam. Por isso, ela procurou o MIT e começou a complementar suas aulas de Pilates.

Como uma professora que tinha começado na área recentemente, ela conseguiu evoluir muito. Além de ficar mais criativa para os exercícios, ela também conseguiu melhorar o planejamento de aula.

Eu trabalho com Pilates, comecei a dar aulas recentemente, e observo o foco na evolução dos meus alunos, procuro sempre mostrar pra eles fazendo comparações com as primeiras aulas comigo, como era sua flexibilidade, força, equilíbrio e comparo com a fase atual, e o engraçado é que se as vezes eu não falo nada, eles nem reparam nas pequenas evoluções que fazem.

Eles me elogiam bastante pro pessoal responsável e a quantidade de alunos aumentou significativamente nos últimos meses. E depois que fiz o MIT, a minha sede por buscar mais conhecimento e incrementar as minhas aulas aumentou.

Sigo você nas redes e leio os materiais disponíveis, assisto vídeos e o melhor de tudo: aplico os exercícios nos meus alunos. Eles adoram quando chego com novidades.

Só tenho a agradecer, você, Keyner Luiz por dividir seus conhecimentos.

Conclusão

Usando o MIT você consegue alterar sua visão dos exercícios e melhorar a forma como trabalha com o aluno. Assim, sua aula se torna mais dinâmica e os resultados são muito melhores.

A fim de te ajudar, eu te convido para uma semana muito especial: a semana MIT. Serão 3 dias de palestras online e gratuitas, abordando temas com os quais todos profissionais do movimento têm dificuldades, que te ajudarão a desenvolver sua avaliação e repertório de exercícios. Te espero lá!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *