Posted in:

Método Abdominal Hipopressivo: a técnica que todo instrutor precisa conhecer

como usar o método abdominal hipopressivo

Já conhece a hipopressiva? É um método que vem conquistando o Brasil aos poucos e ganhando seu espaço. Chegou a hora de conhecê-la e entender por que o método abdominal hipopressivo é essencial para todos os profissionais do movimento.

Nesse artigo te ensinarei mais sobre o método abdominal hipopressivo, de onde ele surgiu e como funciona. Quer aprender a aplicar o método e melhorar muito suas aulas? Continue comigo que passarei todas as informações que você precisa.

O que é o Método Abdominal Hipopressivo?

O Método Abdominal Hipopressivo (MAH) é caracterizado por exercícios posturais que utilizam um ritmo respiratório para auxiliar na diminuição da pressão intra-abdominal (PIA) e intra-torácica. Utilizando os exercícios da MAH em nossa aula conseguimos ajudar o praticante a alcançar uma ativação automática dos músculos da faixa abdominal e do períneo. 

Existem diversos benefícios do uso do método abdominal hipopressivo, como:

  • Normalização das tensões dos músculos respiratórios;
  • Relaxamento simultâneo de grupos musculares antigravitacionais hipertónicos;
  • Estimulação do sistema neurovegetativo simpático.

De onde veio a Hipopressiva?

Mesmo que a hipopressiva só tenha ganhado destaque no Brasil nos últimos 2 anos ela é uma técnica muito mais antiga. O método surgiu baseado em posições utilizadas por praticantes de Yoga.

Sua origem está na Uddiyana Bandha, uma posição de yoga na qual o umbigo em direção ao centro do corpo e para cima. Essa posião de yoga utiliza os mesmos princípios do método hipopressivo que mencionei anteriormente.  Seu principal objetivo é promover uma melhor mobilização visceral. 

Consequentemente, o praticante também consegue melhorar o aporte vascular da região e fortalece musculaturas respiratórias. Todos podem achar que a hipopressiva é algo novo e moderno, mas yogers já usavam a aspiração visceral ao redor do ano 3.000 a.C. 

Importância da pressão intra-abdominal

Existe uma pressão dentro da cavidade abdominal que chamamos de pressão intra-abdominal (PIA). Ela acontece devido a interações entre paredes dessa cavidade e as vísceras. Dependendo da situação a PIA aumenta ou diminui e pode ser afetada por contrações musculares e outros acontecimentos.

As musculaturas do assoalho pélvico e adbominal agem em sinergia para garantir alguns movimentos reflexos. Quando existe uma contração dos músculos abdominais, como na tosse ou no espirro, acontece também uma contração recíproca do músculo pubococcígeo. A contração que acontece de maneira sinérgica também age para manter a estabilidade do colo vesical. Ou seja, essas estruturas atuam para manter a contenção urinária.

O aumento da PIA em manobras como a tosse levam a um complexo padrão de ativação muscular. Ele é gerado por um padrão individual dentro do tronco cerebral. Ações como tossir e espirrar geram uma ativação de algumas musculares:

  • Diafragma;
  • Músculos abdominais;
  • Músculos do assoalho pélvico.

Sabemos poucos sobre o comportamento dessas musculaturas na prática de exercícios físicos. Mas o que realmente sabemos é que exercícios abdominais clássicos são responsáveis por aumentar a PIA e comprimir as vísceras. A compressão das vísceras também está diretamente ligada a uma compressão da bexiga urinária.

Pressão intra-abdominal no Pilates

Conhecendo esse conceito de pressão intra-abdominal fica a dúvida: será que podemos aplicá-lo no Pilates? Com certeza, podemos e devemos. Esse é um mecanismo que o corpo utiliza para controlar processos vitais para seu bom funcionamento. O aumento da PIA pode ser benefício se acontecer no momento certo. Porém ele também pode acontecer de maneira patológica. E é exatamente isso que o método abdominal hipopressivo tenta impedir.

Além disso, a pressão intra-abdominal ajuda a controlar a postura do corpo. Nós que praticamos o Método sabemos como ele e ótimo para melhorar a postura e corrigir diversas patologias relacionadas a coluna. As alterações da PIA afetam os reflexos em nossos alunos de Pilates.

É muito comum encontrar um aluno com a PIA alterada já que isso acontece devido a diversos motivos, como: 

  • Aderências peritoneais;
  • Problemas músculo-esqueléticos;
  • Transtornos vestibulares;
  • Ativação de mecanoreceptores músculo tendíneos;
  • Desequilíbrios em certas áreas do córtex cerebral;
  • Outros problemas.

No Pilates trabalhamos com controle do Power House para estabilização postural. Para que isso aconteça é preciso que aconteça a contração dos músculos do centro do corpo, portanto levando ao aumento da pressão intra-abdominal.

Agora pense bem: quando um aluno chega em seu Studio e você pede uma contração do Power House, o que acontecerá com sua PIA? Podemos estar aumentando uma pressão que já está aumentada devido a outros problemas do aluno. Como sabemos, o aumento da PIA leva a diversos problemas, por exemplo:

  • Compressão crônica da coluna vertebral e seus elementos articulares;
  • Perda de função da barreira anti-refluxo gastro esofágico;
  • Ptose visceral;
  • Incontinência urinária e fecal;
  • Redução da perfusão sanguínea das vísceras;
  • Transmigração de bactérias intra-abdominais para outras regiões do corpo;
  • Aumento da concentração de endotoxinas bacterianas no sangue;
  • Aumento de fatores inflamatórios.

Se ignorarmos a pressão intra-abdominal durante a aula de Pilates deixamos de promover a saúde do paciente com esse ótimo Método.

Para piorar ainda mais a situação a maioria dos profissionais da área pouco entendem sobre o assunto. Por desconhecerem as consequências de uma PIA aumentada eles também desconhecem a maneira de descobrir quais pacientes não podem realizar exercícios que aumentem a pressão.

Ao perceber que um aluno possui pressão intra-abdominal aumentada é necessário que o profissional saiba como lidar com ela. Ele só poderá dar início aos exercícios quando a pressão estiver normalizada e o paciente estiver seguro.

Conclusão

O Método Abdominal Hipopressivo pode ser a solução para você que não observa uma evolução satisfatória no seu aluno. Muitos dos problemas apresentados estão relacionados a um aumento na pressão intra-abdominal, mesmo que não sejamos capazes de perceber à primeira vista. Sem corrigir esse aumento da PIA será impossível realmente solucionar o problema no corpo do aluno.

Quer aprender ainda mais sobre o método hipopressivo para complementar suas aulas e atendimentos? Confira meu e-book completo sobre o método. É gratuito e te ajudará a obter resultados mais eficientes com os alunos. Faça o download agora mesmo clicando no link.

Um Comentário

Deixe uma Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *