Posted in:

4 lesões comuns no ombro que podemos tratar com movimento

Considerando que o ombro é uma articulação bastante instável, é comum encontrarmos pacientes com lesões nesta região do corpo. Isso pode acontecer por diversos motivos, incluindo disfunções, traumas e desequilíbrios musculares. Algumas vezes as lesões são até multifatoriais. Por isso, é importante observar cuidadosamente o paciente para realizar o tratamento ou prevenção de lesões comuns no ombro.

Nossos alunos com frequência realizam movimentos compensados que recarregam as estruturas do ombro. Isso pode acontecer em movimentos diários, como ao levantar uma carga, ou durante a prática esportiva.

Falando em gestos esportivos, eles são grandes causadores de lesões. Quando realizados de maneira errada ou com a ativação muscular incorreta é o suficiente para causar algum tipo de problema no complexo do ombro do indivíduo. Mesmos traumas que ocorrem durante o esporte e causam lesões podem estar relacionados a fraqueza muscular e um padrão de movimento errado.

Os mecanismos que levam a uma lesão no ombro são complexos e podem estar ocultos até nas bases do corpo. O que estou tentando dizer é, mesmo sendo um problema localizado em um complexo articular específico, não devemos olhar somente para ele. É possível que a causa esteja em outro lugar ou relacionada a outra articulação.

Mas quero que você tenha alguma base mais prática para começar o tratamento de lesões comuns no ombro dos alunos. Por isso, selecionei essa pequena lista que te auxiliará nessa tarefa.

Lesões comuns no Ombro

1. Luxações no ombro

As luxações aparecem com muita frequência entre as lesões no ombro mais comuns. Ela ocorre quando algum fator leva à separação de tecidos moles das suas estruturas articulares. Um ligamento que foi hiperextendido, por exemplo, pode passar do seu limite elástico e se romper ou sofrer um trauma.

Existem quatro tipos principais de luxações no ombro:

  • Anteriores;
  • Posteriores;
  • Superiores;

Depois que o problema ocorre uma vez o aluno pode se tornar um reincidente. Como muitos não buscam tratamento profissional, a lesão nunca se cura completamente e volta assim que ele realizar um movimento mais brusco. Esse é um caso comum com atletas amadores que não possuem o acompanhamento adequado.

2. Lesão na articulação acromioclavicular

A articulação acromioclavicular realiza a conexão entre as estruturas do complexo do ombro e da clavícula. Ela é uma articulação bastante estável graças à presença de diversos ligamentos ao seu redor que realizam a estabilização dinâmica. Apesar da estabilidade, não é incomum encontrar pessoas com lesões nos tendões da articulação.

A causa mais comum para esse problema são impactos ou traumas diretos. Os traumas ocorridos na escápula e na parte superior do ombro são os mais perigosos. Por isso, indivíduos que praticam esportes de alto contato, como artes marciais, tendem a sofrer mais do problema. Também é possível encontrarmos pacientes que sofreram uma lesão por causa de traumas indiretos.

Assista 2 Aulas Gratuitas:

Como Refinar o Movimento de Forma Inteligente

Imagine alguém que sofreu um impacto na mão quando estava com o cotovelo estendido ou passou por uma tração forte no membro superior. Esse impacto não causa lesão diretamente na mão que o sofreu, mas sim nos tendões da articulação acromioclavicular. Como resultado eles podem sofrer pequenas lesões e traumas ou se romperem completamente.

Na maioria dos casos, os tendões lesionados são os que se encontram entre o acrômio e a clavícula. Eles são a parte mais superficial e propensa a sofrer traumas. Outra região mais frágil são os ligamentos que ficam entre o coracóide e a clavícula, mas para atingi-los o trauma deve ser bem mais forte.

O tratamento depende bastante da gravidade e da porção do tendão danificada. Em alguns pacientes é possível tratar somente com métodos conservadores que, é claro, envolvem fisioterapia e Pilates. Só teremos problemas quando a lesão é mais extensa e causou rompimento total de alguns tendões, exigindo o procedimento cirúrgico. Ainda estamos presentes no tratamento, especialmente na porção pós-operatória.

3. Lesão na articulação esternoclavicular

É raro encontrar lesões na articulação esternoclavicular, mas elas acontecem. Essa raridade é justificada pela grande quantidade de ligamentos fortes que rodeiam a articulação. Boa parte dos casos de lesão acontece por causa de traumas fortes, como os que acontecem em acidentes de trânsito. Eles podem afetar tanto ligamentos na parte posterior quanto anterior da articulação.

As lesões na articulação esternoclavicular costumam surgir junto a outras lesões ou problemas na cintura escapular. Elas podem exigir tratamento cirúrgico ou conservador, tudo depende da quantidade de tecido lesado.

Além de lesões ligamentares, também existem entorses e subluxações que afetam a articulação esternoclavicular. Esse é um problema de ombro bastante mais comum que costuma ser tratado através da fisioterapia.

4. Lesões na articulação escapuloumeral

Quando dizemos que o complexo do ombro é instável, uma das grandes culpadas é a articulação glenoumeral. Ela é extremamente móvel por possuir uma cápsula articular rasa e uma quantidade menor de ligamentos para estabilizá-la. Graças a esses fatores os membros superiores são capazes de uma impressionante amplitude de movimento, mas também estão mais sujeitos a lesões.

Detalhe: as lesões na articulação escapuloumeral são bastante relacionadas a desequilíbrios e fraquezas musculares, principalmente do manguito rotador.

Algumas das lesões comuns no ombro são as luxações traumáticas da escapuloumeral. Elas ocorrem após traumas, como acidentes, impactos diretos ou quedas atingem o ombro diretamente. Seu paciente provavelmente vai te dizer que está com o ombro deslocado, mas essa é uma luxação. O ombro precisa voltar ao seu lugar original, mas a manobra não deve ser realizada por alguém não especializado. Isso pode causar ainda mais danos às estruturas da região.

É comum encontrarmos uma luxação da articulação escapuloumeral junto de lesão em tendões ou até no Labrum. A maioria dos pacientes sente dor aguda que precisamos aliviar antes de dar início ao tratamento.

Vou te contar um detalhe interessante: a maioria dos pacientes não faz ideia de qual foi o movimento que causou a luxação. A lesão costuma ser anterior e acontece com o membro superior em abdução e rotação externa. Essa posição está presente em muitos movimentos do dia a dia, tudo que a pessoa percebe é uma dor súbita que a impede de mover corretamente o membro superior.

Oriente seus alunos a tomarem muito cuidado com o ombro enquanto estiver com o ombro em cicatrização. Uma lesão que cicatriza na posição incorreta deixa a articulação glenoumeral ainda mais instável e propícia à reincidência das lesões.

Conclusão

Por ser uma articulação bastante lesionada, é importante ter conhecimento a respeito das lesões comuns no ombro. Precisamos aprender o máximo possível sobre tais lesões, assim conseguiremos dar atendimentos cada vez mais completos para nossos alunos. Aproveite para aprender ainda mais sobre o ombro baixando meu e-book completo sobre ombro, é gratuito!


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Aulas Gratuitas Teórico e Prática sobre

Como Refinar o Movimento de Forma Inteligente