Posted in:

Por Que Usar Exercícios Para Tornozelo em Quem Tem Dor no Joelho

Nossos alunos pensam que o tornozelo é só uma articulação. Por isso, eles chegam falando que torceram o tornozelo ou que estão com dor nele.

Na verdade, são 3 articulações que formam essa parte do membro inferior. Perceba, nossos alunos sequer conhecem bem essa estrutura, eles também não a utilizam corretamente na maioria das vezes.

Essas articulações influenciam todo o membro inferior e cadeia muscular posterior. Por isso, precisamos trabalhar os exercícios para tornozelo em todos nossos atendimentos, em especial aqueles relacionados à dor no joelho.

Anatomia do Tornozelo

A primeira articulação é a tíbio-társica. Ela sustenta o corpo durante a estática e também auxilia os movimentos durante a marcha. Além disso, a tíbio-társica influencia os movimentos de todo o membro inferior.

Podemos comparar essa articulação com uma dobradiça de porta. Ela permite movimentos somente no plano sagital, sendo eles:

  • Dorsiflexão;
  • Flexão Plantar.

Geralmente as pessoas têm limitações na articulação tíbio-társica. A dorsiflexão costuma estar limitada, ou seja, você deve sempre avaliar seu funcionamento mesmo em alunos aparentemente saudáveis.

Outra articulação do tornozelo é a subtalar. Ela realiza ações nos três planos, mas tem uma amplitude de movimento muito reduzida, especialmente quando comparada à tíbio-társica.

Estabilização do Tornozelo

Preste muita atenção na posição anatômica da articulação do tornozelo. Ele está basicamente na base do corpo e precisa suportar grandes cargas. Por isso a instabilidade é praticamente certeza de uma lesão.

Para se manter adequadamente estável, o tornozelo usa os seguintes estabilizadores:

Todos esses são estabilizadores passivos. A cápsula articular fica localizada próxima à junção dos três principais ossos da estrutura.

Ela precisa ser um pouco frouxa ou impedirá completamente o movimento. Mas também precisa ser forte o suficiente para estabilizar, para isso é necessário treinar essa região com exercícios para tornozelo.

Por utilizar principalmente a estabilização estática, o tornozelo fica mais instável em algumas posições. Isso acontece especialmente na flexão plantar, posição na qual existe uma distância maior entre suas estruturas.

Na dorsiflexão, os ossos estão mais encaixados, proporcionando ainda mais estabilidade.

Durante a avaliação dos seus alunos você perceberá que a flexão plantar é geralmente o movimento menos impedido.

Por causa da zona de frouxidão proporcionada pelos estabilizadores passivos, a flexão precisa da ativação de algumas musculaturas.

Quando elas não funcionam o movimento pode falhar e trazer uma lesão, como acontece quando seu paciente “torce” o tornozelo.

Músculos do Tornozelo

O tornozelo precisa de músculos para realizar sua estabilização. Essas estruturas também são responsáveis por sustentar todas as articulações do pé.

Além disso, elas também realizam a ligação entre tornozelo e outras partes do corpo.

Podemos dividir os músculos que atuam no tornozelo em:

  • Extrínsecos: Esses São os Músculos Que Estão Ligados a Outras Estruturas Que Não Ficam No Sistema Esquelético Do Pé. Somente Sua Terminação Está Nessa Região;
  • Intrínsecos: Fixam-Se Somente Nos Ossos Localizados No Pé. Por Isso São Mais Curtos, Sendo Que a Maioria Se Localiza No Lado Plantar.

Os músculos extrínsecos são os que mais trabalhamos em aula. Entre eles temos grandes grupos, como o tríceps sural.

Ele é o mais forte de toda a perna e pode influenciar até outras articulações, como o joelho.

Cadeia Posterior

As cadeias musculares são conceitos que precisamos entender para ver como o corpo é uma estrutura conectada.

Elas são um conjunto de músculos que realizam um trajeto quase reto pelo corpo. Sua conexão acontece através:

  • Das fáscias;
  • Tecido Conjuntivo;
  • Estrutura Óssea.

Elas formam linhas de tensão pelo corpo que são essenciais para realizar o movimento. Quando um músculo está comprometido ao longo da cadeia, toda ela estará prejudicada.

Isso acontece porque a cadeia muscular possui um importante papel nas compensações: ela transmite tensão muscular ao longo de seus músculos.

As cadeias musculares começam ou terminam nas extremidades do corpo, nem preciso te lembrar a respeito da posição do tornozelo, certo?

Essas articulações têm influência especialmente sobre a cadeia muscular posterior. Ela começa na planta do pé, passa pelo joelho e o quadril e chega aos membros superiores.

Podemos resumir suas musculaturas na seguinte ordem:

  • Fáscia Plantar;
  • Flexor dos Dedos dos Pés;
  • Gastrocnêmio;
  • Sóleo;
  • Isquiotibiais;
  • Ligamento Sacrotuberoso;
  • Fáscia Tóracolombar;
  • Eretores Espinhais;
  • Músculos Subocciptais;
  • Músculo Occiptal.

Algumas dessas musculaturas estão relacionadas aos movimentos do tornozelo. Quando em desequilíbrio, elas fazem com que outros músculos compensam.

Por isso, um problema que começa no tornozelo facilmente sobe para o joelho.

Relação Entre Joelho e Tornozelo

Joelho e tornozelo estão próximos e são intimamente ligados. A falta de movimento de um sempre causa excesso de mobilidade no outro.

De acordo com a abordagem articulação por articulação, o tornozelo tende a ser rígido. Por isso, ele geralmente causa instabilidade no joelho.

Duvida que muitos dos seus alunos têm pouca mobilidade de tornozelo? Peça para fazerem um agachamento. Se eles levantarem os calcanhares do chão você já encontrou o problema.

Uma das causas dessa compensação no tornozelo é o encurtamento de musculaturas da perna ou da coxa.

Se existir um encurtamento na cadeia muscular posterior, os joelhos também fazem uma extensão mais limitada quando o tornozelo está em dorsiflexão.

Em outros casos, o encurtamento muscular também causa hiperextensão do joelho.

Sempre que os movimentos de dorsiflexão ou flexão plantar não são feitos na sua amplitude máxima, o joelho compensa.

Apesar de ser uma solução para permitir o movimento, ela não é ideal e aumenta o gasto energético. É claro que também aumenta as chances de surgirem patologias.

Tornozelo e Dor no Joelho

Quem não faz exercícios para tornozelo, prejudica seu funcionamento fisiológico e eventualmente terá dor no joelho. Pois, ele absorve boa parte do impacto quando alguém realiza movimentos de alto atrito.

Portanto, participantes de esportes com saltos e corridas só conseguem manter um joelho sadio porque o tornozelo está aguentando a carga.

Para ele isso não é problema, as articulações do tornozelo são especialmente preparadas para isso.

Quando seus movimentos estão restringidos, quem começa a receber a força é o joelho e ele não está preparado.

Para complementar o quadro, temos no joelho uma articulação com necessidade primária de estabilidade, que se torna instável facilmente.

Portanto, as forças de cisalhamento nele aumentam e fazem com que suas estruturas sofram maior compressão.

Algumas pessoas evitam realizar movimentos de agachamento, corrida e salto por causa dessas forças, mas o movimento em si não é danoso. O grande problema é o desequilíbrio do tornozelo.

Também existem pesquisadores que estimam que uma falta de dorsiflexão está relacionada a um varo ou valgo no joelho.

Um estudo avaliou a relação entre dorsiflexão e joelho varo em exercícios como agachamento. No agachamento uma amplitude menor do movimento do tornozelo levou a um varo maior na maioria dos casos.

Exercícios Para Tornozelo

Quer manter seu aluno seguro durante as atividades físicas? Então confira alguns exercícios para tornozelo que complementam sua aula.

Conclusão

O tornozelo é uma estrutura muito esquecida durante nossos treinamentos. Não importa se você está tratando alguém com patologias no joelho ou preparando o treino para uma pessoa saudável, precisamos incluir exercícios para tornozelo.

Eles ajudam a manter um movimento funcional e protegem o joelho. Com essas articulações em equilíbrio, os movimentos de membros inferiores são mais harmônicos. Portanto, nunca esqueça de avaliar e trabalhar esse complexo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *