Posted in:

Exercícios de Pilates e Treinamento Funcional para Escoliose

Você já fez uma pesquisa sobre exercícios para alguma patologia recentemente? E sobre exercícios para tratar pessoas com escoliose? Vou adivinhar e dizer que pesquisou e provavelmente mais de uma vez.

Muitos profissionais que trabalham com reabilitação estão em busca de aperfeiçoamento na forma de dicas e exercícios para patologias. Uma delas é a escoliose, e posso confirmar que vários de vocês já me pediram exercícios e maneiras de tratar esse problema. Realmente, o tema é bastante importante para nós e nossos pacientes.

Apesar de não causar dor em todos os casos, desvios da coluna devem ser tratados para que o paciente consiga ter uma boa qualidade de vida. Podemos pensar dessa maneira sobre qualquer patologia, mas como patologias relacionadas à coluna são realmente muito comuns, é bom falar um pouco sobre elas, nesse caso, sobre a escoliose.

Escolhi esse tema por sua relevância, visto que muitas pessoas me perguntam sobre exercícios para nossos pacientes com tal patologia. Antes de começarmos com a parte prática gostaria de lembrar que não são as variações de exercícios que determinam a qualidade de uma aula.

Devo usar variações de exercícios em minhas aulas?

variações de exercício para escoliose

Reconheço que muita gente, em especial alguns alunos, acha que se a aula for variada é sinal que foi boa. Porém o que importa é se aquele movimento está cumprindo seu objetivo para a melhoria do paciente e se o indivíduo é capaz de realiza-lo com perfeição.

Não adianta querer variar o exercício quando a pessoa ainda não consegue fazer sua versão mais básica. O ideal é sempre presar a excelência de movimento acima de quantas variações você consegue fazer em aula.

Mas ter um bom repertório de movimentos pode ser benéfico, contanto que o profissional saiba utiliza-los. Creio que se você está lendo esse artigo está entre as pessoas sempre em busca de aprimoramento que fazem perguntas como as exemplificadas no início do artigo.

É para você que separei uma lista de exercícios práticos que ajudarão seu paciente com escoliose.

Quer mais dicas, exercícios e informações para tratar seus pacientes com toda eficiência possível? Então continue a leitura desse artigo, garanto que encontrará algo útil para você como profissional e para seus clientes que buscam recuperação.

O que é Escoliose?

o que é escoliose

Escoliose é como chamamos uma curvatura tridimensional na coluna vertebral que vai além do ângulo fisiológico dessa estrutura. As causas são variadas e podem ser congênita e até doenças neuromusculares.

Apesar dessa variedade, a maioria dos casos encontrados é do tipo idiopático, sem causa conhecida.

Quanto à curvatura, podemos identificar as que são em S e em C, sendo o tipo em S mais comum. O motivo está na tentativa que o corpo faz para corrigir os problema, levando a uma compensação para o outro lado.

Só lembre que nem todo desvio de coluna é uma Escoliose. Muita gente tem desvios, mas só quem possui um desvio acima de 10° pode ser considerado patológico, abaixo disso é um desvio comum e que quase todo mundo apresenta.

Tratamentos para desvios na coluna

escoliose tratamentos

Existem diversas maneiras de tratar a escoliose, cada uma mais adequada para as necessidades individuais de cada paciente. Como sempre, antes de decidir qual é o melhor meio de tratamento é necessário conhecer profundamente o caso.

Nem todas as escolioses têm causa definida, mas naquelas onde é possível encontrar a razão do desvio precisamos de um bom conhecimento do corpo do paciente. A compreensão dos desequilíbrios, compensações, patologias e histórico de movimento ajudarão a identificar o que levou ao desvio e a fazer uma decisão certeira para o tratamento.

Os profissionais que me acompanham focam na reabilitação através do movimento, mas existem outras maneiras de reabilitar pacientes com escoliose diferentes. Entenda um pouquinho de cada uma delas.

Acompanhamento médico

Assim como nem todo desvio na coluna é escoliose, nem toda escoliose precisa de intervenção, tudo depende da gravidade da situação.

Muitas vezes o desvio não causa dor ou dificuldade para se movimentar. Outra possibilidade é que o desvio escape pouco do normal, portanto sem ser causador de problemas para o paciente, e com pouca probabilidade de aumentar no futuro.

Apesar de a possibilidade de piora ser pequena, a recomendação é que o paciente continue sendo acompanhado por um profissional da ortopedia. O acompanhamento serve para uma avaliação adequada do desvio. Eu acredito ser muito importante essa interação do médico com o Fisioterapeuta ou profissional da educação física. Não podemos ser rivais ou ficar falando mal de outro profissional isso só será ruim para uma pessoa: o nosso cliente.

Com um acompanhamento periódico a pessoa conseguirá um tratamento rapidamente caso seu caso comece a apresentar riscos, aumentando a rapidez da reabilitação.

Colete corretivo

O ortopedista indica o uso de colete corretivo quando aquele paciente provavelmente vai piorar seu desvio. Os casos que recebem essa indicação são limitados e geralmente envolvem crianças ou jovens em crescimento.

Quando o médico identifica no paciente uma curva que está progredindo com o tempo, provavelmente recomendará que essa pessoa use colete. Dessa maneira será possível evitar que a escoliose fique muito acentuada a ponto de exigir intervenção cirúrgica no futuro.

O colete não é algo usado para a vida inteira, mas sim somente durante o período quando a curva na coluna pode piorar. Quando o problema fica estabilizado o paciente pode abandonar seu uso e tratar-se somente com movimento.

Detalhe, o colete não é uma maneira de diminuir a curva, mas sim de controla-la. Alguém que o utilize não terá uma progressão da curva, se o ângulo do desvio for exagerado existe a necessidade de aliar o controle do colete a outro método.

Fisioterapia

escoliose tratamento com fisioterapia

Um tratamento fisioterápico leva em consideração todos aqueles fatores já mencionados como idade do paciente, flexibilidade, etiologia, etc. Ela está entre os tratamentos conservadores, ou seja, não invasivos, que são aplicados para a patologia.

Durante a reabilitação um fisioterapeuta aplica exercícios com o objetivo de melhorar a postura do aluno, fortalecer suas musculaturas e garantir que aquela curvatura da coluna não será motivo de dor ou problemas. Ela pode ser aliada a outros tratamentos como o colete corretivo e também para a reabilitação depois de uma intervenção cirúrgica.

Pilates

escoliose tratamento com pilates

Conhecemos o Pilates e sabemos que ele é efetivo para o tratamento de diversas patologias, inclusive a escoliose. Seus movimentos são executados de maneira que o paciente mantenha a curvatura natural da coluna, ajudando a melhorar a postura.

O método também auxilia na flexibilidade, coordenação motora e aumento da força muscular. Ele é muito indicado e possui diversos exercícios que ajudam a tratar pacientes que apresentam escoliose.

Reeducação Postural Global

Um desvio na coluna consegue gerar incômodos, dores (mas não sempre) e também problemas posturais. Por esse motivo a RPG também é bastante recomendada para tratamento de pacientes com tal patologia.

Palmilha

Alguns pacientes desenvolvem um desvio na coluna por possuírem discrepância de membros inferiores.

A palmilha ajuda ao corrigir a discrepância de membros e, da mesma maneira que o colete, pode trabalhar juntamente a outros tratamentos como a fisioterapia.

Cirurgia

Em geral, a cirurgia é indicada para casos graves de escoliose, em pacientes com curvaturas maiores que 50º. Nesses casos o tratamento através do movimento pode ser usado para a reabilitação, tudo levando em conta as recomendações médicas.

A cirurgia consegue diminuir a curva da coluna ou estabilizar sua progressão.

Por que tratar com movimento

escoliose como tratar

O movimento é uma ótima maneira de tratar algo que foi causado por movimentos errados. Alguém com problemas de postura que levaram a uma escoliose, por exemplo, pode corrigir seu desvio através de exercícios para melhora postural.

O Pilates e a fisioterapia conseguem auxiliar seu aluno a se recuperar, evitando processos invasivos como a cirurgia. Eles também fortalecem o corpo de maneira global, deixando-o preparado para movimentos do dia-a-dia e para evitar que novas patologias aconteçam.

As aulas ajudam não somente a recuperar o paciente de uma patologia, mas também a aliviar e prevenir dores provenientes dela. Os exercícios também são fundamentais para garantir melhora, mesmo em casos onde o paciente já faz uso da órtese (colete).

Lembrando que o ideal é diagnosticar e tratar o caso logo. Quanto mais cedo a escoliose for descoberta, maiores as chances de recuperação, principalmente quando o caso é encontrado em crianças e adolescentes (boa parte deles é).

Como a maior progressão da escoliose dá-se no estirão de crescimento do adolescente, trata-la nessa época ajuda para que ele não tenha uma curva piorada num ponto posterior da vida.

Fatores importantes para decidir o tratamento

escoliose escolher tratamento

Quando o paciente chega para nós para ser tratado com movimento, já foi determinado por seu médico que essa é a melhor maneira de trata-lo. Mas para escolher qual é a maneira ideal de fazer isso, você deve levar alguns fatores em consideração.

A idade, por exemplo, determina se a curva da escoliose tem uma grande probabilidade de piorar ou se o caso já está estabilizado. Pessoas mais velhas também possuem uma tendência maior a sentir dores causadas pelos desequilíbrios da patologia.

Claro que você também precisa estar atento para possíveis causas do desvio, ângulo da curva e localização na coluna.

Evite ignorar detalhes descobertos durante a avaliação física do paciente. A patologia afeta a coluna em especial, o que não quer dizer que ela é a única região afetada.

Os desequilíbrios musculares em todo o corpo afetam sim a patologia, já que quando uma musculatura está tencionada é inevitável que essa tensão se espalhe.

Um profissional que desconsidera todas as informações que tem sobre o paciente está no caminho certo para errar. E não podemos admitir esse tipo de erro em nossa profissão se queremos manter credibilidade e ajudar os pacientes.

Exercícios no solo e com acessórios

Quando posto vídeos ou faço lives, sempre aparece aquele comentário:

“Tem exercício no solo, Keyner?”

Claro que tem! Não são os equipamentos que garantem uma boa reabilitação. Na verdade, exercícios no solo ou somente com o peso do corpo (que são bastante comuns no Treinamento Funcional), são bastante eficientes.

Essas dicas servem inclusive para quem trabalha a domicílio e quer tratar seus pacientes sem usar equipamentos. Basta ter alguns acessórios para te auxiliar que você é capaz de adaptar vários exercícios para o solo.

Quem me acompanha sabe que gosto muito de usar banda elástica e Minibands, nos exercícios a seguir utilizo elas e outros acessórios como a Fitball.

Exercícios com equipamentos de Pilates

Quem trabalha com Pilates ou utiliza seus equipamentos para complementar as aulas têm grandes aliados na recuperação.

Os equipamentos do método foram criados por Joseph Pilates com a intenção de possibilitar correção de movimento, melhora na flexibilidade e fortalecimento muscular. Coincidentemente, precisamos de todos esses fatores num processo de reabilitação de escoliose.

Conheça alguns exemplos para usar em suas aulas também!

Diagonais no Reformer

 9 exercícios nos equipamentos de Pilates

Exercício de instabilidade lombar

Você sabia que exercícios que causam instabilidade na região da lombar são ótimos para nossos pacientes com escoliose?

Em pacientes com escoliose a região lombar e do quadril geralmente apresentam desequilíbrios causados pelo desvio da coluna ou pela dor. Por isso trabalhar essas áreas é essencial.

No exercício que demonstro abaixo o disco gera uma instabilidade forçando o tronco a buscar uma posição de equilíbrio e o alinhamento. Ao realizar essa ação as musculaturas das cadeias cruzadas e do quadrado lombar são ativadas.

Pessoas com escoliose devem fazer exercícios?

Com certeza! Qualquer um deve praticar atividades físicas, mesmo que possui alguma patologia. Um aluno com escoliose só tem a ganhar ao praticar esportes e outras atividades que o ajudem a se movimentar.

Além de tudo, a atividade física auxilia o corpo do paciente a manter-se livre de compensações e com um sistema musculoesquelético fortalecido.

Lembrando que nem toda escoliose causa dor, na verdade, é bem mais comum um paciente conviver com a escoliose sem qualquer incômodo por muito tempo. Porém a dor pode aparecer eventualmente quando um desequilíbrio afeta a região, fazendo com que o corpo precise compensar.

Todas as atividades que trabalhem fortalecimento, alongamento, flexibilidade e ajudem a deixar o corpo mais equilibrado são indicadas para nossos pacientes. Claro que se a pessoa estiver num período pós-operatório será necessário tomar cuidados e seguir as orientações médicas.

Conclusão

escoliose conclusão

A escoliose é um desvio da coluna que pode ser tratado com técnicas conservadoras como o RPG e o Pilates, ou com métodos mais invasivos como a cirurgia. Tudo depende do ângulo e possibilidade de piora do desvio.

Quem possui escoliose não precisa conviver com dor o tempo todo, isso deveria ser uma exceção. Para garantir que o corpo continue equilibrado e saudável, basta que o paciente adote bons hábitos de vida como praticar atividades físicas.

A orientação profissional também é essencial para quem quer garantir que está fazendo os exercícios da melhor maneira possível.

O que achou dessas sugestões de exercícios e dicas para o tratamento? Tenho certeza que elas serão úteis para ajudar você e seu paciente com escoliose. Se quiser continuar me acompanhando é só me seguir nas redes sociais e se inscrever na LISTA VIP do blog.

11 Comentários

Deixe uma Resposta
  1. Muito bom, Keyner. Mas pessoas idosas ou com problema de joelhos, não conseguirão fazer muitos dos exercícios propostos.
    Gostaria de dicas para se trabalhar na posição de pé, deitado até mesmo sobre um colchão, sentado numa cadeira.
    Muito obrigada !
    Luci

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *