Posted in:

Exercícios para Condromalácia Patelar em Cada Fase do Tratamento

Você tem dificuldades em prescrever exercícios para condromalácia patelar? Apesar de ser uma das patologias de joelho mais comum nos consultórios e Studios grande parte dos profissionais fica confuso quando se depara com um caso de condromalácia. Por ser uma patologia que afeta diretamente os movimentos funcionais do joelho muitas vezes ficamos perdidos. Que exercícios podemos usar, quais devemos evitar e como inserir cada um no programa de reabilitação?

Tudo fica mais simples de entender quando vemos que a patologia é uma combinação de desequilíbrios do corpo, é como uma reação em cadeia, um desvio postural, lesão, ou dor inespecífica vai gerando compensações ao longo de todo o corpo. Através dessa visão global, nos tornamos capazes de prescrever os exercícios de maneira mais eficiente, e de tratar a lesão com maior chance de êxito na reabilitação.

Hoje falaremos sobre alguns temas que te ajudarão a trabalhar com seus pacientes com condromalácia patelar, como:

  • O que é e como acontece a condromalácia patelar;
  • Exercícios para condromalácia patelar;
  • Fases do tratamento;
  • Como aplicar exercícios para condromalácia patelar no tratamento;
  • Alunos com condromalácia podem agachar?

Se interessou? Continue lendo para entender tudo e complementar seus tratamentos de condromalácia patelar.

Antes de começarmos o texto, eu recomendo fortemente que você clique aqui e participe do meu grupo exclusivo do WhatsApp, onde eu envio vídeos e exercícios todos os dias. PS: Grupo exclusivo para profissionais e estudantes de Fisio e Ed. Física.

O Que é Condromalácia Patelar?

joelho é uma articulação bastante envolvida em lesões, ele é uma preocupação seja em alunos sedentários, pessoas fisicamente ativas ou atletas de alto rendimento. Para o atleta uma lesão no joelho significa parar as atividades competitivas. Para o indivíduo normal, significa movimentos limitados, perda de independência, dores e desconfortos e redução de qualidade de vida. Todos que as possuem sofrem com essas lesões, especialmente quando elas têm a possibilidade de tornar-se crônicas, que é o caso da condromalácia patelar.

A condromalácia patelar é basicamente um amolecimento da cartilagem que envolve a patela. Sem o suporte dessa cartilagem o joelho fica sem estabilidade e tem aumento no atrito entre as estruturas, causando crepitação e dor. Essa patologia é muito comum e pode ser responsável por cerca de 25% das lesões no joelho e também 5% das lesões esportivas.

Ela é considerada uma lesão degenerativa que atinge a cartilagem e a amolece gradualmente resultando no seu desgaste. Dependendo do grau da lesão também pode acontecer dano às estruturas ósseas do joelho devido ao atrito constante.

As mulheres são o grupo mais propenso a desenvolver a condromalácia patelar. Isso acontece devido ao aumento do ângulo Q que é formado pela junção da linha que vai do centro da patela até a tuberosidade tibial e do centro da patela até a crista ilíaca superior.

Inicialmente muitos alunos não percebem a condromalácia ou deixam de visitar o médico e fisioterapeuta por causa dela. Nos graus menos avançados a condromalácia é caracterizada por dor e crepitação no joelho. Como a dor pode aparecer e desaparecer dependendo da atividade realizada o aluno pensa que é algo pontual e que vai melhorar sem precisar de tratamento. Com o desenvolvimento da patologia o dano aumenta e a dor torna-se mais aguda e constante.

Muitas vezes quando o aluno chega no Studio ou na fisioterapia já está com os movimentos do joelho bastante comprometidos e a cartilagem em alto nível de degeneração.

Principais Sintomas

A principal característica da condromalácia patelar é a dor anterior no joelho. A maioria dos pacientes também apresenta estalos durante os movimentos da articulação e desenvolvem edema e inchaço. A dor costuma ser bilateral, mas existem casos de dor unilateral onde só uma das articulações está comprometida.

Os atletas sentem dor especialmente durante e após a atividade esportiva. Modalidades com mais impacto na articulação do joelho possuem mais riscos relacionados a esse tipo de lesão. Atletas como corredores, lutadores de artes marciais e outras modalidades estão sujeitos a desenvolver condromalácia patelar quando não possuem o treinamento e preparo adequado. O uso de equipamentos de má qualidade é outro problema que pode piorar o quadro de dor relacionado a condromalácia.

Causas da Condromalácia Patelar

Existem dois tipos de causas que podem levar ao desenvolvimento da condromalácia patelar: intrínsecos e extrínsecos.

Os fatores intrínsecos estão relacionados a características do próprio corpo do paciente. Muitas vezes eles estão relacionados a desequilíbrios musculares ou características próprias do indivíduo. Alguns exemplos são:

  • Subluxação patelar;
  • Desequilíbrio muscular;
  • Músculo vasto medial pouco eficiente;
  • Pressão lateral excessiva;
  • Patela alta;
  • Rotação externa da tíbia;
  • Falta de flexibilidade de isquiotibiais, gastrocnêmio, sóleo e trato iliotibial;
  • Fraqueza de musculaturas abdutoras e rotadoras de quadril.
  • Pé cavo ou valgo;
  • Displasia da patela;
  • Aumento do ângulo Q.

Pode ser que um aluno apresente alguma ou algumas dessas características, mas ainda não apresente condromalácia. Nesse caso ele está no grupo de risco e precisa corrigir seus desequilíbrios para evitar desenvolver a patologia.

Os fatores extrínsecos não estão ligados a uma característica própria do corpo. Eles têm relação com os hábitos sociais da pessoa, especialmente os esportivos. Um aluno pode desenvolver condromalácia patelar devido a treinos muito intensos de determinadas modalidades. Dependendo da modalidade praticada pela pessoa é interessante que o instrutor trabalhe com prevenção e fortalecimento das estruturas do joelho.

Alunos com Condromalácia Patelar podem Praticar Atividades Físicas?

A partir do momento do diagnóstico a maioria dos pacientes com condromalácia diminui gradualmente sua prática de atividade física. Mesmo atletas precisam parar com os treinos por causa da dor e falta de funcionalidade da articulação.

Eventualmente o instrutor começa a perceber que os alunos com condromalácia praticam muito pouca atividade física. É normal, a dor é realmente limitante até para atividades diárias como caminhar e dirigir. Mas lembre-se: em geral foi um desequilíbrio muscular que gerou o problema. Como ele conseguirá corrigir esse desequilíbrio sem atividade física?

Então a resposta é sim, alunos com condromalácia podem e devem praticar atividades físicas. A diferença é que eles precisam de uma orientação especial e um desenvolvimento lento e gradual. Assim seria possível reduzir a dor e retardar o avanço do desgaste e voltar aos níveis de atividade que possuíam anteriormente.

O tratamento conservador é inclusive baseado na atividade física. Ele possui resultados ótimos e muitos alunos chegam até a voltar às atividades esportivas e competições. Entenderemos mais sobre o tratamento com exercícios para condromalácia patelar no tópico abaixo.

SE VOCÊ QUER RECEBER VÍDEOS E EXERCÍCIOS GRATUITAMENTE NO WHATSAPP CLIQUE AQUI.

Como Tratar Condromalácia Patelar com Exercícios Físicos?

Provavelmente quando o aluno chegar ao Studio estará com dor aguda que impossibilita exercícios para condromalácia patelar específicos para joelho. Portanto começaremos com trabalho de analgesia e alívio da dor. Esse é o foco de qualquer tratamento de condromalácia patelar. Enquanto a dor persistir o aluno terá dificuldades para fazer os exercícios em aula e também movimentos no seu dia-a-dia.

Durante essa fase inicial os exercícios focam no fortalecimento de musculaturas do centro do corpo e corrigir disfunções dos membros inferiores. Um exemplo é o valgo dinâmico realizado por muitos alunos com condromalácia no exercício. Você deverá identificar a causa desse problema e corrigi-la durante a aula.

Também podemos utilizar crioterapia e terapia manual para aliviar o edema e dor local. O aluno provavelmente apresentará musculaturas de membros inferiores tensionadas (o que não quer dizer que são fortes). Realize a liberação cuidadosamente e sempre respeitando os limites da dor.

Também deveremos trabalhar com exercícios para:

  • Fortalecimento de quadríceps e vasto medial;
  • Melhorar mobilidade e flexibilidade de membros inferiores;
  • Fortalecimento de glúteo médio e mínimo;
  • Alongamento de isquiotibiais;
  • Propriocepção.

Exercícios voltados para essas características devem diminuir o estresse e pressão exercidos sobre a patela. É uma ótima maneira de evitar que o quadro de dor se repita e a ajudar o aluno a recuperar seus movimentos funcionais.

Exercícios para Condromalácia Patelar em Cada Fase

Dependendo do grau da patologia o aluno tem necessidades especiais. Só é importante lembrar aqui que a condromalácia em graus mais avançados causa danos à estrutura óssea do joelho e pode exigir cirurgia.

Confira os graus a seguir antes de discutirmos quais exercícios usar para a condromalácia patelar:

  • Grau I: caracterizado por cartilagem já amolecida e possível edema.
  • Grau II: a cartilagem possui fragmentação e também fissuras com 0,05 polegada de tamanho ou menos.
  • Grau III: a cartilagem está mais fragmentada e possui fissuras com 0,05 polegada de tamanho ou maior.

O tratamento através do movimento é mais eficiente quando a patologia é identificada cedo. Se tratarmos um aluno com condromalácia de primeiro grau com fortalecimento de musculaturas e ganho de flexibilidade ele terá um retorno praticamente completo às atividades físicas.

Conforme a patologia se desenvolve a reabilitação torna-se mais demorada e difícil. Alunos com condromalácia de grau II e III devem ganhar força muscular para diminuir a compressão da patela. Porém esse paciente também terá dificuldades para realizar exercícios ajoelhados ou com sobrecarga na região do joelho.

Inicialmente você deve dar preferência para exercícios globais e em cadeia fechada sem sobrecarga. Por isso os exercícios de Pilates e Treinamento Funcional são bastante indicados. Eles conseguem trabalhar a articulação de maneira global e em posições que não causam desconforto ao aluno.

Os equipamentos de Pilates ainda possuem a vantagem de proporcionarem um trabalho sem impacto sobre o joelho, com exceção de alguns exercícios realizados com a barra torre do Cadillac ou a série de footwork no Reformer . Assim seu aluno com condromalácia patelar consegue realizar exercícios da maneira mais confortável possível.

Fases do Tratamento da Condromalácia Patelar

Assim como a patologia, a reabilitação da condromalácia também possui fases. De acordo com cada uma os exercícios para condromalácia patelar mudam. Essas fases são:

  • Aguda: o aluno ainda tem dor aguda e dificuldade para realizar movimentos básicos como correr e subir escadas. Ele não consegue fazer exercícios ajoelhado e muitas vezes o próprio trabalho de fortalecimento causa dor. Será necessário controlar o edema e a dor aguda enquanto fortalecemos musculaturas de base e do Core. Aos poucos você deve inserir exercícios de fortalecimento e flexibilidade.
  • Subaguda: o quadro de dor já diminuiu consideravelmente. O aluno só apresenta desconforto em alguns movimentos ou durante a prática esportiva. Podemos começar com o fortalecimento de estruturas do joelho para diminuir a compressão da patela. O trabalho proprioceptivo também pode ter início nessa fase, mas ainda tomando cuidado com movimentos que possam causar desconforto.
  • Manutenção: finalmente conseguimos recuperar a movimentação funcional do paciente, que também está sem dor ou quase sem dor. Chegou a hora de retornar às atividades físicas, mas não sem orientação. Dificilmente a cartilagem do joelho consegue se recuperar, portanto o aluno precisa continuar com o fortalecimento e alongamento de musculaturas estabilizadoras do joelho. Ele também deve receber treinamento dos movimentos esportivos que pratica para corrigir disfunções que podem afetar o joelho.

A evolução de um aluno com condropatia patelar deve ser lenta e gradual. Conforme a dor diminuir ele será capaz de realizar uma variedade maior de movimentos e com maior qualidade. O mesmo se aplica a exercícios com carga. Inicialmente ele precisa aprender o movimento do exercício e realizá-lo com perfeição. É comum que esses alunos apresentem desvios dos joelhos ou pés durante os exercícios para condromalácia patelar. Precisaremos corrigir essas características para evitar maiores lesões por essas instabilidade.

Exercícios para Condromalácia Patelar em Fase Inicial de Tratamento

Assim que o aluno começar seu tratamento de exercícios para condromalácia patelar ele estará com dor. Por isso você deve evitar exercícios que exerçam muita pressão sobre o joelho. Talvez o seu aluno sequer consiga realizar exercícios de flexão de joelho, tudo vai depender do grau da condromalácia e da tolerância a dor dele.

Como mencionei anteriormente, queremos controlar a dor e começar a fortalecer algumas musculaturas importantes. No Pilates alguns equipamentos como Reformer, Cadillac e Chair nos oferecem a ferramenta ideal. Eles deixam o paciente realizar exercícios para condromalácia patelar sem precisar ficar em quatro apoios e são ótimos para exercícios em decúbito dorsal. As molas ajudam a inserir certa resistência no movimento sem impacto excessivo sobre a articulação.

Quem trabalha com mat Pilates ou Treinamento Funcional possui diversas opções que não envolvem equipamentos. O acessório que mais vai te ajudar nessa fase é a faixa elástica, que toma o lugar das molas em alguns exercícios. Também podemos utilizar exercícios típicos do Funcional como as pontes para fortalecer extensores do quadril e da coluna, flexores do joelho e até mesmo a musculatura flexora da coluna que compõe o Core..

Devemos optar por exercícios em cadeia cinética fechada. Eles proporcionam um trabalho mais completo e global, além de representarem padrões de movimento funcional para membros inferiores, com maior estabilidade. Isso não exclui os exercícios em cadeia cinética aberta do tratamento, só demos utilizá-los com maior cautela e atenção às compensações. Um aluno com dor aguda pode muito bem obter benefícios importantes do uso de exercícios em cadeia cinética aberta mais localizados.

O mais importante dessa fase do tratamento é: sempre respeitar o limite de dor do aluno. Inicialmente eles terão dificuldades para realizar exercícios em grandes amplitudes. Quando os movimentos estão comprometidos não devemos forçá-los além do limite do paciente. Com o tempo ele estará mais preparado para aumentar a amplitude dos exercícios sem sentir dor.

Agachamento para Condromalácia Patelar

Inicialmente seu aluno não conseguirá realizar o agachamento de maneira alguma. Exercícios de flexão de joelho são um desafio extremo para o aluno com condromalácia patelar e muitos até dizem que é contra indicado nesses casos. Preciso discordar desse diagnóstico precoce.

Muitos de nossos alunos com condromalácia patelar chegam ao nosso Studio falando que o médico os proibiu de agachar. Outros relatam que o médico falou que não conseguiriam agachar ou realizar atividades com apoio de joelho pelo resto da vida. Especialmente quando trabalhamos com os últimos graus da patologia.

O agachamento é um padrão de movimento funcional. O aluno o utiliza para sentar e se levantar da cadeira, pegar objetos do chão, levantar algo pesado, entrar e sair do carro e outros. Você realmente quer um aluno limitado em todas essas atividades para o resto da vida? Se ele precisa realizar essas atividades seu corpo tem que estar preparado e forte para isso.

Além disso, o agachamento pé ideal para fortalecimento de membros inferiores em cadeia fechada. Conseguimos fortalecer quadríceps, isquiostibiais, eretores da coluna e glúteos, além de flexores do tornozelo e da coluna.,tudo isso em um mesmo movimento. É ótimo! Basta encontrar um limite seguro para seu aluno.

Recomendo procurar uma amplitude de movimento que não seja dolorosa. Também evite a amplitude de 90º de flexão, que causa mais compressão na articulação do joelho. Tente incentivar o aluno a agachar o mais profundo possível. Só um aviso: no inicio ele não conseguirá muito bem e isso é normal. Ele precisa primeiro se livrar da dor e recuperar a confiança nos movimentos do joelho.

Outra opção é inserir o exercício de agachamento em estágios mais avançados do tratamento. Ele pode ser usado para ganho de amplitude de movimento e flexibilidade. Quando combinado com acessórios de instabilidade também podemos utilizar para recuperar a propriocepção.

Cuidados com os Exercícios para Condromalácia Patelar

Vejo muitos profissionais preocupados com os exercícios que devem evitar no tratamento e pouco preocupados com como executar os exercícios corretos. Esse é um ponto essencial para qualquer um que queira uma reabilitação completa e eficiente.

Em primeiro lugar, seu aluno pode aumentar a compressão da patela quando realiza o exercício de maneira errada. Já que falei um pouco do agachamento nesse artigo, voltemos a ele. É comum que alunos com condromalácia patelar apresentem um valgo ou varo dinâmico durante os exercícios. Lembre que estão com musculaturas estabilizadoras do joelho enfraquecidas, portanto incapazes de controlar a posição da articulação.

Ao agachar realizando um varo ou valgo dinâmico, seu aluno aumenta a compressão da patela. Como resultado ele sentirá dor e ainda pode ficar desmotivado. O mais importante ao realizar qualquer exercício é corrigir sempre o movimento da pessoa. Quanto mais perfeito for seu movimento, mais preparado ele está para realizar as atividades diárias sem risco.

Conclusão

A condromalácia patelar é uma patologia complexa que afeta membros inferiores e confunde profissionais e pacientes. Sempre estamos em busca da melhor maneira de tratá-los, por isso devemos entender muito bem como ela funciona e como compromete a funcionalidade do corpo do aluno.

Aplicar exercícios físicos para o aluno é um desafio em especial. Sabemos que ele precisa fortalecer as musculaturas estabilizadoras do joelho. Também sabemos que ele está com um quadro de dor horrível e limitações na amplitude de movimento. Como proceder?

Dividimos seu tratamento em fases começando pelo controle da dor. Desde o início trabalhamos com uma mistura de técnicas que proporcionam o alívio e também fortalecimento muscular. Use os exercícios que seu aluno consegue fazer sem dor e evolua aos poucos.

Tudo é questão de saber avaliar os desequilíbrios e necessidades de cada um. Aplicando essas dicas você conseguirá escolher os exercícios para condromalácia patelar muito mais facilmente. Comece a aplicá-las no seu próximo atendimento e verá como os resultados da aula e a satisfação do paciente melhoram!

Quer algumas indicações de exercícios práticos e com fotos para tratamento de joelho e quadril? Tenho a solução para você. Baixe meu e-book gratuito de exercícios para joelho e quadril nesse link.

 

Gosta do meu trabalho? Te convido então a entrar no meu grupo do WhatsApp. Já enviei 165 vídeos este ano! Todos os dias um vídeo novo! (Somente para profissionais e estudantes da Fisio e Ed. Física).

5 Comentários

Deixe uma Resposta
  1. Excelente artigo. Utilizo essa técnica em meus atendimentos e é o que reabilita realmente. Parabéns pela inteligência e competência. Abraços.

  2. Extasiada com o artigo… Tenho condromalácia grau III patela alta e fiquei motivada e confiante para retomar as atividades fisicas ainda que de forma gradual. Muito obrigada por desestigmatizar o assunto e demonstrar a importância de fortalecer a musculatura com a continuidade da prática d exercícios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *