Posted in:

Saiba Como Escolher Os Melhores Exercícios Corretivos Para o Quadril

Sabia que os exercícios corretivos para quadril conseguem transformar todo o quadro do aluno? O quadril é uma região importante no movimento que realiza a transferência de forças pelo corpo. Sem seus movimentos funcionais ele causa desequilíbrios que se espalham através das cadeias musculares e cinéticas. Portanto, devemos aprender a trabalhar com exercícios corretivos que realmente ajudam na recuperação das patologias do quadril. Para isso, proponho que você siga alguns passos que vão desde avaliação do quadril até definição de exercícios.

Separei nesse artigo algumas dicas que te ajudarão no trabalho de reabilitação. Continue lendo para aprender a importância da avaliação para definir os exercícios e como escolher exercícios de mobilidade e fortalecimento para quadril.

Antes de prescrever os exercícios corretivos, precisamos realizar uma boa avaliação do quadril. Durante esse primeiro passo, você conseguirá descobrir qual é a origem da patologia, dor ou lesão no seu aluno.

O quadril é parte da cintura pélvica, uma estrutura que liga membros inferiores e membros superiores. É na cintura pélvica que acontece a anulação das forças envolvidas no movimento. Uma falta de movimentos funcionais causa uma série de desequilíbrios nas cadeias cinéticas do corpo. E, obviamente, isso afeta as articulações, podendo causar patologias e lesões.

Você deverá avaliar o quadril em todas as patologias e desequilíbrios do movimento. Por sua importante função é bastante comum encontrarmos um quadril prejudicado, mas dore em outras regiões, como:

  • Coluna lombar;
  • Joelho;
  • Tornozelos;
  • Coluna torácica.

É até possível encontrarmos problemas na posição estática do quadril, alterando a postura e o alinhamento articular do indivíduo. Realize uma avaliação completa baseando-se em movimentos funcionais, não só em protocolos.

Não estão dizendo que você deve excluir os protocolos de avaliação do quadril que geralmente usamos na fisioterapia. Eles são importantes para identificarem musculaturas prejudicadas, tensão, falta de mobilidade e outras características. Porém, eles não são tudo que você precisa.

Assim como já mencionei em outros artigos como os exames de imagem te dão uma demonstração incompleta do paciente, os protocolos analisam só parte do movimento. Podemos compreender como aquele aluno reage quando está fazendo esse ou outro movimento, mas não entendemos como isso acontece na sua vida diária.

Por isso, recomendo realizar uma avaliação usando movimentos normais desse aluno. Ele pode caminhar, pular, agachar e até fazer alguns exercícios funcionais como o afundo. Cada um deles te mostrará os limites do movimento funcional do aluno. Existe outra vantagem: avaliar como outras articulações se movimentam. Pegue os membros inferiores como exemplo. Algumas vezes existe um valgo dinâmico no joelho durante a marcha que não perceberíamos com uma avaliação específica para quadril.

Exercícios Corretivos para Alinhamento Postural

Após a avaliação você perceberá desequilíbrios musculares, encurtamentos, músculos tensionados, pontos gatilho, todo tipo de problema. E, claro, que possivelmente encontrará um ou outro problema postural. Veja que o quadril está intimamente envolvido em problemas posturais já que sua posição pode direcionar a coluna lombar.

Uma hiperlordose, por exemplo, costuma estar relacionada a um desvio do quadril. Corrigindo o desvio e fortalecendo as musculaturas corretas conseguimos melhorar o desvio da lombar. O primeiro tipo de exercícios corretivos que você deve empregar é para corrigir os desvios posturais desse aluno.

Mesmo que o problema não esteja diretamente relacionado ao quadril, corrigir a postura nos ajuda a reabilitar a função do corpo. Além disso, quanto melhor a postura menor a presença de dores nesse aluno.

Trabalhando Mobilidade

O quadril é uma articulação muito estável. Muitas vezes essa sua estabilidade em excesso se transforma em rigidez e impede o movimento fisiológico. Pode parecer que isso impediria o surgimento de lesões no quadril. Mas a falta de mobilidade força outras articulações a compensarem e aumentarem a própria mobilidade, como a coluna lombar e o joelho.

Se quisermos reabilitar o aluno precisaremos trabalhar com sua mobilidade. Entre os exercícios corretivos devemos incluir um bom trabalho de mobilidade de quadril. Dê sempre preferência para os exercícios que trabalham com mobilidade integrada. Abaixo você pode conferir alguns exemplos de exercícios que trabalham quadril e torácica ao mesmo tempo:

Esses movimentos são ótimos porque seguem a tendência do treinamento funcional de trabalhar o corpo de maneira global. Assim, conseguimos resolver o problema do quadril e melhorar outra região relacionada. Considerando que as disfunções do quadril afetam outras articulações, é um ponto bastante interessante no tratamento.

Exercícios Corretivos de Movimento Funcional

No funcional trabalhamos com alguns padrões de movimento que estão presentes na maioria dos exercícios. Existe um motivo simples para isso: os padrões ajudam o corpo a se mover de uma maneira correta e sem prejudicar as articulações. Como o corpo não compreender a ativação individual de cada músculo, os padrões de movimento são alguns dos melhores exercícios corretivos que podemos utilizar.

Você precisará melhorar movimentos como o afundo e o agachamento para que seu aluno consiga se mover melhor. Por esse motivo também precisamos inserir exercícios corretivos que simulam a marcha e saltos, por exemplo. Ao trabalhar com reabilitação de atletas os exercícios também devem simular movimentos esportivos.

Devemos aplicar os padrões de movimento na hora de fortalecer musculaturas do quadril e trabalhar mobilidade. Confira no vídeo abaixo alguns exemplos de como realizar isso no Cadillac:

Perceba que uso alguns exercícios tipicamente do Treinamento Funcional. Um bom exemplo é o afundo, que ajuda a trabalhar a mobilidade do quadril de maneira similar a como ela acontece na marcha. O exercício também é ótimo para trabalharmos musculaturas envolvidas nessa movimentação.

Conclusão

Os exercícios corretivos são provavelmente a parte da reabilitação que mais confunde profissionais. Sempre recebo mensagens pedindo para passar exercícios corretivos para artrose do quadril ou tendinite, ou alguma outra patologia. Na verdade, não existem exercícios certos para todos os casos.

O paciente possui um conjunto de desequilíbrios e desarranjos musculares que são completamente seus. Eles são diferentes do desequilíbrios encontrado em outros pacientes com a mesma patologia. Quer realmente corrigir a patologia do aluno? Faça um trabalho individualizado que leva em consideração os resultados da avaliação.

Após termos certeza de como é necessário trabalhar esse paciente poderemos começar com a introdução de exercícios corretivos. Isso inclui trabalhar características funcionais como mobilidade e estabilidade. Também precisaremos fortalecer musculaturas do quadril, mas tudo dentro de padrões de movimento funcional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *