Posted in:

Aula de Funcional: 8 dicas para aumentar seu repertório de exercícios

exercícios para aula de funcional

Gosta de procurar exercícios novos para sua aula de funcional na internet? Tenho certeza que vai gostar desse artigo então. Sei que muitos profissionais têm dificuldade em manter suas aulas interessantes para os alunos por falta de exercícios. Só conseguem ficar no mesmo padrão sessão após sessão, o que muitas vezes tira a motivação do cliente e o faz procurar outro tipo de atividade física.

Você não quer perder alunos porque eles se cansaram da sua aula, certo? Então continue lendo para aprender 8 importantes dicas!

  1. Conheça bem os exercícios mais comuns

agachamento para pessoas com patologias

Quem pratica Treinamento Funcional sabe que alguns exercícios são utilizados com muita frequência. Se eu falar em agachamento, afundo ou prancha, você com certeza vai pensar numa aula de funcional. Por serem tão frequentes, tem gente que simplesmente ignora a possibilidade de criar com base nesses exercícios.

Lembre-se de uma coisa: existe uma razão para que esses exercícios sejam o carro chefe de uma aula de funcional e estarem presentes com tanta frequência. Exercícios como o agachamento e o afundo  representam padrões de movimento bastante funcionais e que simulam atividades de vida diária servindo de base para qualquer aula de Treinamento Funcional.  Movimentos como o agachamento, remadas, afundos e outros são todos uma representação de atividades diárias que realizamos. Ao utilizá-los estamos dando a possibilidade de transferência das habilidades aprendidas em aula para o dia-a-dia.

Minha recomendação para que você comece a aumentar seu repertório de exercícios é conhecer detalhadamente cada um desses exercícios. Ao estudar um pouco mais sobre a biomecânica do agachamento, por exemplo, conseguimos entender como ele age no corpo.

O conhecimento da biomecânica do exercício te ajuda a planejar variações ou combinações para complementar sua aula. De certa maneira, já é um jeito de começar a aumentar seu repertório de exercícios.

  1. Entenda como funciona a resistência nos exercícios

força dos exercícios com faixa elástica

Diversas variações de exercícios de Treinamento Funcional e Pilates aparecem a partir do incremento de algum tipo de resistência ao exercício. Isso pode ser afirmado para exercícios que usam acessórios e equipamentos como:

  • Faixa elástica;
  • Reformer;
  • Cadillac;
  • Kettlebell;
  • Fita de suspensão.

Todos eles utilizam uma direção de resistência para facilitar ou dificultar o exercício. Dependendo do tipo de resistência utilizado conseguimos dar ênfase ao fortalecimento de certos grupos musculares específicos. Para deixar o trabalho de decidir exercícios ainda mais complexo, temos uma variedade enorme de acessórios e equipamentos na modalidade.

Cada acessório consegue trazer um elemento diferenciado para a aula e um tipo de dificuldade para o aluno. Alguns deles deixam o exercício mais instável, outros são voltados a treinos de força e assim por diante.

Quando falamos em resistência geralmente queremos dizer exercícios voltados a um treino de força. Nesse caso, você deve ter em mente qual é o exercício que deseja usar e para qual objetivo. Assim consegue escolher o melhor acessório para complementar o movimento.

  1. Use e abuse dos acessórios

exercícios com kettlebell para alunos não treinados

Vamos fazer uma lista rápida dos acessórios que podemos usar no Treinamento Funcional? Faça uma anotação de tudo que vem à mente, pode ser acessórios com os quais você trabalha ou não. Tem muita coisa, certo?

Esses acessórios estão aí para nos ajudar em nossa aula de funcional. Sem eles o treino continuaria completo, sem problemas, mas por que não usar para conseguir um trabalho ainda melhor e diversificado?

Sempre que vejo profissionais se matando para descobrir variações de um exercício para colocar na sua aula, penso nos acessórios. Algumas vezes basta colocar um kettlebell ou uma faixa elástica para deixar tudo diferente e mais divertido.

Na hora de usar acessórios pense bem na quantidade de alunos na sua turma, quantidade de acessórios e espaço disponível. O ideal é preparar o espaço de um jeito que os alunos consigam realizar o exercício de maneira confortável. Não queremos ninguém esbarrando nos colegas durante os treinos.

Em geral, acessórios são uma ótima contribuição para a aula. Só de usá-los já estamos fazendo um trabalho diferenciado que os alunos gostam muito. Faça sua opção, decida como e qual acessório usar e vá em frente.

  1. Use exercícios em dupla

cuidados com exercícios em dupla

Quero expor aqui um grande benefício dos exercícios em dupla para sua aula. Eles aumentam muito a motivação do praticante. Atividades em grupo são tão boas para motivar que algumas empresas utilizam dinâmicas de grupo para unir os setores e aumentar a produtividade. Será que podemos ficar de fora dessa na aula de funcional?

Os exercícios em dupla podem ser realizados de diversas maneiras. Algumas vezes o exercício envolve ambos os praticantes, fazendo com que precisem se exercitar alterando o próprio ritmo e se adaptando ao outro. Outra opção é simplesmente ter alguém para acompanhar o exercício.

Vou dar dois exemplos de exercícios em dupla desses tipos para você entender bem. O primeiro é uma flexão de cotovelo na qual os alunos precisam bater palma com uma das mãos em um certo ponto da flexão. Isso quer dizer que um deles não pode estar rápido demais e o outro não pode estar devagar demais para que o exercício dê certo.

Como resultado, o nível de atenção dos alunos durante esses exercícios aumenta incrivelmente. O desafio é um incentivador para que eles tentem fazer tudo correto e ainda impede que um deles desista no meio da série.

Outro exemplo de exercício é quando um aluno auxilia o outro a realizar uma abdominal “segurando” os pés do colega. Nesse caso quem está ajudando está em um período de recuperação enquanto o outro se exercita. De qualquer maneira, esse exercício gera uma interação entre as pessoas que é ótima para nossa aula.

Já pensou em quantas variações de exercícios em dupla você pode inserir na sua aula?

  1. Aproveite exercícios de outros métodos

O Treinamento Funcional é tudo de bom. Seus exercícios são completos, trabalham padrões de movimento funcionais e ainda trazem diversos benefícios para o aluno. Então por que eu iria buscar exercícios de outras modalidades para a aula de funcional? É simples, elas servem de complemento.

Você sabia que o Pilates, por exemplo, é ótimo para complementar uma aula de Treinamento Funcional? Ele possui exercícios que trabalham o corpo em padrões de movimento funcional e diversas habilidades que buscamos na nossa modalidade.

Ao inserir exercícios de outras modalidades conseguimos 2 benefícios principais:

  • Aumentar nosso repertório de exercícios.
  • Trazer os benefícios da outra modalidade para o funcional.

Voltando ao exemplo do Pilates, ele fornece um ótimo fortalecimento de musculaturas do Core e exercícios de força com baixo impacto. Também conseguimos utilizá-lo para trabalhar alongamento e flexibilidade, características que estão em falta em quase todos os alunos.

Aproveite o que você conhece das outras modalidades físicas para conseguir deixar sua aula mais completa. Você pode até buscar um exercício da musculação quando precisar de um exercício em cadeia cinética aberta para um trabalho mais isolado. Tudo é válido contanto que cumpra os objetivos da aula e ajude nosso aluno a manter seus objetivos.

  1. Use variações de exercícios

exercícios funcionais para idosos prancha lateral

Acho que isso é um dos temas mais procurados aqui no blog, variações de exercícios. Não é à toa que tenho artigos com 20 variações de prancha, 20 variações de agachamento, 22 variações de abdominais e outros. Todo mundo está em busca de uma variação do seu exercício preferido para complementar a aula.

Variações são ótimas porque existem aquelas que servem para evoluir ou facilitar o exercício. Dependendo do aluno e do seu uso conseguimos fazer praticamente qualquer coisa com elas em aula. Claro que tudo depende também da sua aplicação.

Tome bastante cuidado com exercícios feitos para dificultar. Apesar de serem ótimos e desafiadores, eles também são mais arriscados para seu aluno. Só deixe a pessoa realizar exercícios mais avançados quando estiver completamente preparada. Pelo menos faça isso se quiser que o aluno permaneça seguro e sem lesões.

Algumas variações de exercícios utilizam acessórios, bases instáveis ou somente alguma pequena alteração no movimento. Peguemos o agachamento como exemplo, só de mudar a posição dos pés podemos mudar completamente a ênfase do exercício.

Claro que o instrutor precisa considerar se aquela variação tem algum propósito dentro do treinamento do aluno. Uma boa aula funcional sempre utiliza exercícios que possuem um propósito, sejam eles para preparar o movimento ou para fortalecer musculaturas.

  1. Quando não conseguir encontrar uma variação do exercício, crie uma

preparar exercícios na fita de suspensão

Calma, você não precisa criar uma variação de exercícios do nada. Só encontrar uma maneira de adaptar o movimento ao uso de acessórios que devem facilitar ou dificultar o exercício. Podemos fazer isso com acessórios como kettlebells, faixa elástica, fita de suspensão e outros. Você pode até conferir meu artigo com dicas para criar exercícios com faixa elástica para sua aula.

Prioridades ao usar variações de exercício no Treinamento Funcional

Vejo um problema frequente com profissionais que querem usar variações de exercícios ou movimentos diferentes em suas aulas. Eles buscam variar somente para deixar a sessão mais interessante e divertida para o aluno.

Isso é importante? Claro, queremos que o aluno goste muito da aula e sinta sempre vontade de voltar. Mas não é nosso objetivo primário, na verdade estamos sempre em busca de excelência de movimento e melhora nas capacidades funcionais do corpo.

Se um exercício não possui propósito ele não deve estar na aula. É simples. Sempre pense no motivo que te leva a colocar aquele exercício na aula de funcional e se ele será útil para desenvolver os movimentos do aluno.

Também existe outro fator importante para decidir se devemos ou não usar um exercício, especialmente quando estamos trabalhando com movimentos de outras modalidades. Eles são considerados funcionais? Isso quer dizer, estamos trabalhando com movimentos e habilidades transferíveis para a vida diária ou prática esportiva do aluno?

Caso a resposta seja positiva o exercício está aprovado na aula de Treinamento Funcional. Se a resposta for não tente encontrar outra opção que se encaixe nas exigências do TF. Os movimentos funcionais são os mais eficientes para conseguirmos alcançar nossos objetivos e de nossos alunos.

Vou te dar uma dica aqui para quem deseja emprestar movimentos de outras modalidades: o Pilates se encaixa muito bem com o treinamento funcional.

Conclusão

Quem reclama que não tem exercícios para usar na aula de Treinamento Funcional só não sabe usar todas as possibilidades que temos com essa modalidade. Ele é completo e ajuda nossos alunos a alcançarem todos seus objetivos e melhorarem sua qualidade de vida.

Usando essas dicas você conseguirá aumentar seu repertório de exercícios, complementar a aula de funcional e satisfazer seu aluno. Está pronto para conseguir planejar aulas de Treinamento Funcional ainda mais eficientes? Comece a usar essas dicas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *