Posted in:

5 benefícios de acessórios de Treinamento Funcional com instabilidade

benefícios de instabilidade em acessórios de Treinamento Funcional

Se eu te perguntar agora quanto acessórios de Treinamento Funcional você usa nas aulas, como você me responderia?

Existem muitos acessórios, muitos mesmo, que podemos usar em nossas aulas. Mas muitas vezes acabamos nos limitando àquilo que já conhecemos ou estamos acostumados.

Tem gente que só dá aula usando um par de halteres, colchonete e step. Outros ficam na fita de suspensão o tempo todo e de vez em quando usam Kettlebells. Na verdade, devemos sempre usar nossos acessórios ao máximo.

Os alunos ficam motivados para utilizar equipamentos diferentes na aula, eles realmente adoram. Por isso quero te mostrar nesse artigo alguns motivos para usar acessórios com base instável em aula.

Talvez você tenha receio de utilizá-los pelo nível dos seus alunos ou por não ter costume. Mas fique sabendo que eles são tudo de bom.

Entenda 5 benefícios de usar acessórios de Treinamento Funcional como Bosu e Fitball que vão te convencer a usá-los em aula. Se quiser conferir também exercícios para esses acessórios dê uma rápida olhada na minha página do Facebook. Lá você encontrará vários vídeos com acessórios e equipamentos.

Vamos conhecer melhor esses 5 benefícios? É só continuar lendo.

  1. Estabilização de Core

instabilidade fortalece core

Tenho certeza que se você acompanha meu blog já cansou de ouvir sobre a importância de um bom trabalho de Core. Realmente, sem essas musculaturas fortalecidas e estáveis seu aluno poderá desenvolver uma série de problemas.

Lembrando que dificuldades de ativação do Core também podem estar por trás de problemas para realizar movimentos como o agachamento. Ele também influencia na qualidade da postura do aluno, seja em posição estática ou em movimento.

Deu para entender que é importante. Ok, e como trabalhar com bases instáveis pode ajudar meu aluno?

Quando fazemos um agachamento no chão estamos em uma posição relativamente estável. O aluno precisa ativar a musculatura do centro do corpo para manter a postura, portanto podemos considerar que o agachamento trabalha Core. Agora vejamos o que acontece quando um aluno agacha no Bosu, por exemplo.

Ele precisará prestar muito mais atenção no movimento. Por estar em uma base instável ele também estará incentivado a ativar seu Core de maneira mais eficiente. Caso contrário será incapaz de manter a postura ou sequer agachar.

Assim a ativação do Core ficará mais eficiente. Só tome cuidado com o nível de habilidade do seu aluno. Os exercícios em bases muito instáveis costumam ser recomendados a alunos mais evoluídos. É importante lembrar que o agachamento na base instável não deve ser feito com carga, e também tomar muito cuidado com os joelhos. Caso o seu cliente faça o valgo dinâmico você deve voltar para o chão para depois evoluir para base instável

Também podemos utilizar as bases instáveis na recuperação de alunos com patologias ou dores. Uma lombalgia, por exemplo, talvez seja causada pela falta de força do Core. O importante é selecionar movimentos que correspondam com o nível de habilidades do aluno.

  1. Melhora na postura

instabilidade melhora a postura

Existem alguns fatores que influenciam na postura de um corpo:

  • Desequilíbrios musculares;
  • Hábitos de vida;
  • Falta de mobilidade articular.

Claro que seu aluno pode estar sofrendo de desequilíbrios variados, mas vamos focar um pouco nesses três pontos ao falar de bases instáveis. Eles conseguem melhorar a postura, vamos entender o motivo.

Para manter uma boa postura seu aluno precisa de musculaturas estabilizadoras fortalecidas. Excesso de força ou fraqueza em qualquer um dos estabilizadores da coluna gerará um desequilíbrio e consequentemente postura ruim.

Isso acontece porque as musculaturas servem como um suporte para a estrutura da coluna. Fraqueza nas estruturas estabilizadoras talvez leve até a dores no seu aluno. Vemos aqui o primeiro motivo para que exercícios com bases instáveis melhorem a postura:

  • Fortalecimento de Core.

Como falei anteriormente, a instabilidade praticamente força o corpo a ativar o Core. Como esses músculos têm um papel importante na estabilização da coluna vertebral eles são essenciais para melhorar a postura.

Outro ponto é: a instabilidade gerada pelos acessórios de Treinamento Funcional força o corpo a buscar uma maneira de manter a postura. Através dele o aluno consegue adquirir melhor consciência corporal durante o movimento.

Por fim, o movimento feito em base instável estimula o sistema nervoso, que aprende a fazer a manutenção da postura apesar da instabilidade.

  1. Melhora na propriocepção

instabilidade ajuda na propriocepção

Se você trabalha com atletas provavelmente tem algum aluno que já se lesionou. Dependendo da modalidade desse aluno, talvez essa lesão pudesse ser evitada com melhor propriocepção.

No caso dos exercícios com instabilidade, é fácil de perceber como eles auxiliam. Na hora de um movimento, como uma mudança de direção na corrida, o corpo sofre a perda da base estável.

Durante todo movimento o corpo precisa recuperar sua postura e manter a estabilidade. Quando pensamos em exercícios avançados feitos com velocidade isso se aplica ainda mais. Um corredor com problemas de propriocepção está esperando para que uma lesão aconteça.

E trabalhar com bases instáveis te ajuda a resolver o problema. Durante um movimento no Bosu seu aluno consegue a desenvolver sua propriocepção. Os acessórios de Treinamento Funcional com base instável ajudam muito a melhorar essa habilidade.

Outro motivo que torna esses acessórios de Treinamento Funcional tão úteis é sua imprevisibilidade. Durante um exercício na Fitball é impossível adivinhar como o equipamento vai reagir, forçando o corpo a se adaptar rapidamente.

Essa característica é útil para qualquer aluno. Alguém em processo de reabilitação que precisa recuperar seus padrões de movimento e até um atleta melhorarão. Ao se movimentar sem a instabilidade o aluno pensa muito mais no movimento.

Ou seja, durante um exercício imprevisível com esses acessórios ele torna seus movimentos subconscientes.

Por ser uma habilidade específica, talvez você precise abrir mão de algumas outras características ao trabalha-la. Durante os exercícios seus alunos provavelmente precisarão diminuir a carga (ou tirá-la completamente) ou repetições.

Estudos indicam quem em trabalhos de equilíbrio com bases instáveis a propriocepção aumenta significativamente.  Com a melhora do equilíbrio e da propriocepção você consegue treinar alguém para evitar acidentes.

Quer um corredor que evita quedas ou tropeções? Treine propriocepção. Todos esportes precisam dessa característica, assim como nossos alunos que só treinam pela saúde.

  1. Melhora no equilíbrio

instabilidade melhora equilíbrio

Acessórios de Treinamento Funcional com instabilidade obviamente ajudam a trabalhar o equilíbrio. Quando estamos em uma base dessas se equilibrar é parte do movimento, caso contrário ele será incapaz de fazer o exercício.

Sabe quem precisa muito de equilíbrio? Nossos alunos mais velhos. Como mencionei no meu artigo sobre Treinamento Funcional para idosos, a terceira idade está sempre em risco de quedas.

Na verdade, qualquer um pode melhorar suas aptidões físicas através de trabalhos focados em equilíbrio. Talvez seus alunos mais avançados reclamem ao precisar diminuir a carga do exercício, mas eles conseguirão melhorar seu desempenho no geral.

Se conseguirmos melhorar o equilíbrio de um aluno conseguiremos diminuir suas lesões, melhorar seu desempenho físico e prepara-lo para sua vida diária. Ou seja, é uma ótima opção para incluir na sua aula.

  1. Aumenta o controle neuromuscular

instabilidade melhora no controle muscular

Para realizar um movimento o corpo precisa recrutar uma série de estruturas. Sem um bom sistema neuromuscular, seu aluno nunca conseguirá se mover de maneira eficaz.

Sabe aquela pessoa com muita dificuldade para fazer movimentos mais complexos? Esses alunos costumam reclamar que têm problemas de coordenação motora e isso provavelmente é verdade. O motivo é a falta de movimento que os levou a perder os padrões de controle que os deixariam se mover de maneira correta.

Para recuperar esses padrões o Treinamento Funcional utiliza vários artifícios, como movimentos que imitem padrões de movimento diário. Também podemos utilizar incentivos que forçam o aluno a melhorar sua coordenação. Agora adivinhe de qual estímulo vou falar nesse artigo: da instabilidade.

Ao usar a Fitball para fazer flexões seu aluno precisará trabalhar seu controle neuromuscular. Ele aprende a controlar melhor seus membros na hora de se mover e fica mais preparado para as atividades esportivas ou diárias.

Como mencionei anteriormente, os exercícios em base instável são imprevisíveis para o corpo. Não existe como saber como o equipamento vai se mover, então a velocidade de reação a estímulos melhora.

Quem trabalha com atletas deve prezar muito essa velocidade de reação. Ela pode ser a diferença entre uma queda durante um jogo ou um jogo sem acidentes.

Além disso, ao inserir a instabilidade através de acessórios de Treinamento Funcional você força o corpo a trabalhar junto. Mesmo um exercício direcionado a membros superiores se torna algo global quando o centro do corpo precisa se equilibrar.

Quem pode fazer exercícios em bases instáveis?

Primeiro precisamos pensar no tipo de base instável que conseguimos utilizar no Treinamento Funcional.

Existem diversos acessórios de Treinamento Funcional que adicionam instabilidade, entre eles:

  • Bosu;
  • Fitball;
  • Balance Pad;
  • Fita de suspensão;
  • Foam roller;
  • Disco de equilíbrio.

Cada um deles te dá um tipo de instabilidade diferente e possui variados usos. Tudo realmente depende do objetivo do seu exercício.

Dois fatores são essenciais na hora de pensar se o seu aluno pode ou não fazer aquele exercício.

Primeiro, qual é o nível do exercício sem acessórios? Um agachamento profundo, por exemplo, talvez seja já um pouco avançado para o seu aluno. Antes de começar com acessórios de Treinamento Funcional lembre-se que a pessoa deve dominar completamente o exercício.

Se o movimento feito no chão mesmo não estiver perfeito é sinal que a instabilidade não é uma boa ideia ainda.

Um exercício mais fácil de fazer, como uma prancha, talvez seja mais interessante.

Você também pode optar por realizar o movimento em um acessório que seja mais estável. Pegue o Balance Pad como exemplo, ele certamente é mais estável que o Bosu. Use a variedade de acessórios que temos no Treinamento Funcional a seu favor para melhorar sua aula.

Instabilidade para alunos especiais

Mas e meus alunos lesionados, Keyner?

Usar acessórios como a Fitball na reabilitação é extremamente comum e recomendado. Através desses exercícios seu paciente conseguirá recuperar padrões de movimento e se mover com maior facilidade. Porém você deve tomar alguns cuidados.

Em primeiro lugar certifique-se de que o aluno consegue fazer o exercício. Também se mantenha atento durante a orientação para evitar quedas ou acidentes. Você não quer que o problema se agrave com outra lesão.

O mesmo se aplica a alunos idosos. É bastante recomendado usar instabilidade nas suas aulas com idosos por melhorar sua propriocepção. Só precisamos assisti-los na hora de subir e descer dos equipamentos e amparar para evitar uma queda.

Exercícios com instabilidade sem acessórios

Os acessórios de Treinamento Funcional são uma maneira extremamente eficientes para trazer imprevisibilidade e instabilidade ao exercício.

Mas eu não tenho esses acessórios no meu espaço.

Calma, é muito simples de deixar seu exercício mais instável. Basta diminuir a base de apoio do aluno. Sabe o afundo? Aquele exercício ajuda muito a fortalecer membros inferiores e também pode ser feito usando Bosu ou Fitball.

Mas quem não tiver esses acessórios pode fazer uma mudança simples: estender a perna para trás sem tocar o chão.

O mesmo se aplica a exercícios como prancha e agachamento. Fazendo um exercício unilateral com um dos membros suspensos você conseguirá instabilidade. A fita de suspensão pode te ajudar a realizar esses exercícios com parte do corpo suspensa.

Problemas de usar exercícios com acessórios de instabilidade

Mas nem sempre os exercícios com acessórios de Treinamento Funcional como a Fitball são a melhor opção. Eles trazem diversos benefícios, entretanto devem ser usados para objetivos específicos.

Quando você não quiser um trabalho de equilíbrio, propriocepção ou Core opte por outros acessórios. Durante um movimento em base instável o aluno não consegue utilizar tanta força quanto faria no solo.

Portanto, ele consegue fazer menos repetições e usar menos carga (ou nenhuma carga). O que quer dizer que esses exercícios não são uma opção muito interessante para trabalhar força.

Sempre que planejamos uma aula de Treinamento Funcional os exercícios precisam ter um objetivo. Nossa intenção é trabalhar todas as habilidades e necessidades que um corpo funcional possui.

Assim devemos misturar estímulos para que nosso aluno consiga o melhor aproveitamento possível da aula. O mesmo se aplica a aula de Pilates ou até à reabilitação. Não existem exercícios ou acessórios milagrosos que deixam sua aula completa.

Conclusão

Usando acessórios de Treinamento Funcional conseguimos adicionar uma variedade infinita de exercícios às nossas aulas. Além de deixar a aula mais animada e dinâmica, eles também conseguem trabalhar habilidades específica essenciais.

Um ótimo exemplo são os exercícios que utilizam bases instáveis. Eles melhoram o equilíbrio e a propriocepção do aluno ao mesmo tempo que trabalham o Core. Dessa maneira um aluno que realizar exercícios com esse tipo de acessório melhorará muito seus padrões de movimento.

Podemos utilizar as bases instáveis com praticamente qualquer tipo de aluno. Sejam eles atletas, indivíduos fisicamente ativos, idosos ou alguém com patologias. Todos se beneficiam da instabilidade.

No caso de atletas ela também ajuda a prevenir lesões no esporte. Com sua velocidade de reação melhorada o atleta consegue evitar acidentes e quedas, melhorando ainda mais seu desempenho.

Se você quer um trabalho completo, dinâmico e benéfico para o aluno recomendo começar a utilizar tais exercícios. Basta lembrar do objetivo que o movimento tem dentro da aula e inseri-lo no momento certo. Garanto que seus alunos também vão adorar.

Quer aprender mais sobre quais exercícios pode te ajudar a prevenir lesões no esporte? Tenho um artigo completo sobre o assunto aqui mesmo no blog. É só conferir nesse link. Venha continuar aprendendo!

6 Comentários

Deixe uma Resposta
  1. Muito boas são as dicas, obrigado, elas são importantes, fizeram aumentar minha visão quanto aos exercícios que proponho aos meus pacientes, sejam eles em processo de reabilitação ou simples manutenção, buscando saúde.
    Obrigado, forte abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *